Participação de Johnny Depp na continuação de Animais Fantásticos e Onde Habitam causa controvérsia

Participação de Johnny Depp na continuação de Animais Fantásticos e Onde Habitam causa controvérsia

 

A participação de Johnny Depp no papel-título de “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald” está causando controvérsia nas redes sociais, devido à política de tolerância zero de Hollywood contra casos de violência contra mulheres, em “vigor” desde a denúncia de Harvey Weinstein em outubro. Uma seguidora da escritora J.K. Rowling, criadora da franquia “Harry Potter” e autora do roteiro do novo filme, chegou a ser bloqueada por questionar o fato, o que só aumentou a discussão.

A fã, identificada apenas como Lindsey, lembrou que o ator Jamie Wayllet, que interpretou o personagem secundário Vincent Crabbe na franquia “Harry Potter”, foi substituído após ser acusado de plantar maconha na casa da mãe, enquanto Jonny Depp, acusado de de violência doméstica contra a ex-mulher, Amber Heard, foi promovido a protagonista da sequência de “Animais Fantásticos e Onde Habitam” após uma breve aparição.

“Se eu entendi corretamente, o ator que interpretou Crabbe, um personagem menor, foi demitido de ‘Harry Potter’ por usar drogas. Mas Johnny Depp, que abusou da mulher, ganha um papel importante nos seus filmes? Corrija-me se eu estiver errada”, disse Lindsey para a escritora.

Sem responder, J.K. Rowling bloqueou a usuária do Twitter. Mas os usuários lembraram que a própria escritora falou mal de Harvey Weinstein quando as acusações de assédio sexual contra o produtor explodiram, em outubro. Na ocasião, a autora disse que homens como ele “são muito perigosos para estar em liberdade”.

A polêmica também fez o diretor do filme, David Yates, se manifestar. “Honestamente, há uma questão neste momento, no qual muitas pessoas são acusadas de coisas por várias vítimas, e é assustador. Com Johnny, parece para mim que uma pessoa tentou atingi-lo e alegou algo. Só posso falar sobre o homem que vejo todos os dias. Ele é cheio de decência e bondade e isso é tudo o que vejo. Qualquer acusação que exista não condiz com o ser humano com quem estive trabalhando”, ele afirmou em entrevista à revista Entertainment Weekly.

Diante da insistência do repórter que o entrevistou, Yates continuou: “Algumas mulheres na vida de Depp disseram as mesmas coisas – esse não é o humano que conheço. É bem diferente dos casos em que há múltiplos acusadores, ao longo de muitos anos, que precisam ser investigados e a partir dos quais devemos refletir sobre a nossa indústria permissiva. Johnny não está nesta categoria de nenhuma forma. É uma questão encerrada.”

Mas o público não parece ver muita diferença. Diante de demissões, processos e consequências claras contra os acusados de assédio e abuso em Hollywood, a “promoção” de Johnny Depp se tornou controversa, especialmente por seu papel fazer parte de uma franquia adorada pelas crianças, como prólogo de “Harry Potter”.

Para quem não lembra, a atriz Amber Heard se separou de Johnny Depp de forma tumultuada, após o surgimento de uma foto em que aparecia com o rosto machucado e de um vídeo que mostrava o ator bêbado e agressivo, o que acelerou o processo de separação. Para deixar claro que não estava atrás de dinheiro, Heard doou tudo o que obteve no divórcio para causas de defesa da mulher e para um hospital infantil. Desde então, fez muitas insinuações sobre ter sido vítima de violência doméstica.

Atualmente em produção, “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald” tem estreia marcada para novembro de 2018, e os planos de J.K. Rowling preveem a produção de mais três continuações.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.