Filmes sobre o crime de Suzane von Richthofen tem estreia adiada

Os dois filmes sobre o crime de Suzane von Richthofen tiveram seus lançamentos adiados no Brasil por precaução com o novo coronavírus. Os longas “A Menina que Matou os Pais” e “O Menino que Matou Meus Pais” chegariam aos cinemas na próxima quinta-feira (19/3) e agora não tem mais previsão de estreia. Apesar disso, a distribuidora espera que eles entrem em cartaz ainda em 2020.

“A saúde e o bem-estar do público são prioritários para a Galeria Distribuidora e a Santa Rita Filmes. Por esta razão, o lançamento dos filmes ‘A Menina que Matou os Pais’ e ‘O Menino que Matou Meus Pais’, sobre o caso Richthofen, será adiado pela pandemia de coronavírus (covid-19), decretada pela Organização Mundial da Saúde. As empresas estão acompanhando o cenário e, até o momento, mantêm a estreia dos longas em 2020, ainda sem data definida. A Galeria Distribuidora e a Santa Rita Filmes lamentam por qualquer desconforto”, diz a nota.

O adiamento duplo marca a primeira vez que uma produção nacional tem sua data alterada em função do coronavírus. Até então, as decisões vinham sendo tomadas tendo em vista o mercado asiático e europeu, mas na quarta (11/3) a proibição de aglomerações pelo governo da Califórnia indicou que o fechamento de cinemas nos EUA deve ser anunciado em breve. O Brasil tende a seguir a tendência.

O primeiro filme adiado foi “007 – Sem Tempo Para Morrer”, que foi empurrado para o mês de novembro, seguido na quarta por “Pedro Coelho 2: O Fugitivo”, remarcado para agosto. Há poucos minutos, “Um Lugar Silencioso – Parte II” perdeu sua previsão de estreia e “Velozes e Furiosos 9” escapou para 2021.