Diretor de X-Men negocia assumir o filme da guerreira Red Sonja

Após ser demitido em meio às filmagens de “Bohemian Rhapsody”, o diretor Bryan Singer negocia retomar sua carreira com uma volta às adaptações de quadrinhos. Segundo a revista The Hollywood Reporter, ele está conversando com o estúdio Millennium para dirigir “Red Sonja”.

Singer foi afastado da direção do filme do Queen por ter sumido da produção no final do ano passado. Na época, o THR apurou que o sumiço estaria relacionado a problemas de bastidores entre o cineasta e o ator Rami Malek (da série “Mr. Robot”), que interpreta o cantor Freddie Mercury. Boatos citados mencionaram discussões acaloradas, com Singer jogando objetos longe. Isto teria acontecido após Malek cobrar profissionalismo do diretor, que vinha chegando tarde e faltando aos compromissos das filmagens. Tanto que o diretor de fotografia Newton Thomas Sigel chegou a assumir a direção em alguns dias.

Oficialmente, Singer justificou seu comportamento com a informação de que “precisava colocar temporariamente minha saúde e saúde dos meus entes queridos em primeiro lugar”. Ele teria pedido um tempo para a Fox no fim do ano para lidar com doença de um de seus pais. Mas o estúdio não concedeu. Em vez disso, emitiu uma nota concisa, dizendo: “Bryan Singer não é mais o diretor de ‘Bohemian Rhapsody'”. Ele foi substituído por Dexter Fletcher (que atualmente filma “Rocketman”, sobre o cantor Elton John), que finalizou as filmagens, mas não ganhará créditos no longa.

Na mesma época, Singer também viu retornarem acusações de abusos de menores, resgatadas pelo movimento #MeToo. Mas as queixas não evoluíram. Teorias de conspiração podem juntar o sumiço do diretor com o sumiço das denúncias.

Responsável pelo sucesso dos filmes dos “X-Men”, Singer pode agora iniciar uma nova franquia baseada em quadrinhos. O filme se tornou prioridade da Millennium após o sucesso de “Mulher-Maravilha” nos cinemas.

Apesar das aventuras da guerreira se passarem no mesmo universo hiboriano de Conan, a personagem não é uma criação literária de Robert E. Howard, o autor de Conan. Red Sonja foi criada pelo escritor e editor Roy Thomas, o substituto de Stan Lee na Marvel, como coadjuvante de uma história em quadrinhos de “Conan”, desenhada por Barry Windsor-Smith em 1973. Thomas se inspirou em diferentes personagens femininas de Howard – como a pirata Red Sonya de Rogatino – , mas sua criação é original e também teve grande contribuição do espanhol Esteban Maroto, que mais tarde desenhou o famoso biquíni de metal vestido pela heroína.

Sua história pode ser resumida com o texto usado por Roy Thomas para introduzi-la nos anos 1970: “Cerca de 12 mil anos atrás, nos mesmos dias em que Conan da Ciméria caminhava sobre a Terra, surgiu Sonja, a Guerreira Hirkaniana de cabelos cor de fogo. Forçada a abandonar sua nação por ter assassinado um rei, ela fugiu para o leste… Onde tornou sua espada uma lenda e imortalizou seu nome em todos os reinos hiborianos”.

Os leitores se apaixonaram e ela acabou promovida a protagonista de sua própria revista, que durou de 1975 a 1986. Neste período, Sonja também ganhou seu primeiro filme, “Guerreiros de Fogo” (Red Sonja) de 1985, vivida por Brigitte Nielsen.

Uma personagem com o mesmo nome voltou aos quadrinhos em 2005, editada pela Dynamite Comics. Mas não é a mesma heroína e sim uma parente distante da Red Sonja original.

O projeto de refilmar Red Sonja começou a tomar corpo por volta dessa época, em 2008, quando o cineasta Robert Rodriguez (“Sin City”) escalou sua então namorada Rose McGowan (“Planeta Terror”) como a guerreira. Ilustrações da atriz no biquíni de bolinhas metálicas chegaram a ser divulgadas numa Comic-Con, mas o casal brigou e McGowan virou bruxa, literalmente, em “Conan, o Bárbaro” (2011).

Rodriguez tentou manter o filme em pé, com Megan Fox (“As Tartarugas Ninja”) no papel principal. Mas a Millennium preferiu recomeçar do zero, contratando Simon West (“Lara Croft: Tomb Raider”) como diretor e Amber Heard (“3 Dias para Matar”) como Sonja.

Os planos previam começar as filmagens logo após o lançamento de “Conan”, estrelado por Jason Momoa, mas não contavam com o fracasso daquele filme, que fulminou a produção. Uma ironia é que, seis anos depois, Amber Heard e Jason Momoa foram fazer par em “Liga da Justiça”.

Quem está escrevendo a nova versão do roteiro é Ashley Miller, de “Thor” e “X-Men: Primeira Classe”.

Fontes dizem que a Millennium está disposta a investir em Singer como diretor, apesar dos problemas que cercam o cineasta. Fontes ouvidas pelo THR garantem que “nenhuma das alegações contra ele parece ter mérito”.

Singer também foi demitido por sua agência, a WME, no início deste ano e tem negociado o acordo para filmar “Red Sonja” com a ajuda de seu advogado.

A Millennium não quis fazer comentários.