Produtora jura que demissões de Grey’s Anatomy não tem relação com salário de Ellen Pompeo

As demissões das atrizes Sarah Drew e Jessica Capshaw da série “Grey’s Anatomy” pegou mal entre os fãs da série, originando protestos nas redes sociais e especulações sobre a relação do corte no elenco com o aumento conquistado pela protagonista Ellen Pompeo, que vai receber US$ 20 milhões para participar das próximas duas temporadas.

Até o site Deadline fez esta relação, o que levou a showrunner Krista Vernoff a publicar um comunicado em seu Twitter, negando veementemente que a dispensa das intérpretes de April e Arizona fosse uma compensação pelo salário elevado de Pompeo.

“A sugestão de que haja relação entre nossas mudanças no elenco e a renegociação salarial de Ellen Pompeo é errada, maldosa e equivocada”, escreveu Vernoff. “Ela parte de uma noção antiquada e patriarcal de que as mulheres devem ser colocadas umas contra as outras e que o sucesso de uma mulher custará caro para as outras”.

Vernoff destacou que Pompeo “defendeu apaixonadamente seus companheiros de elenco” e tem sido um exemplo para mulheres que buscam defender seus direitos no ambiente de trabalho. E reiterou que a decisão de agitar o elenco “foi criativa”. “A única coisa mais constante que Ellen Pompeo em ‘Grey’s Anatomy’ é nossa tendência de renovação. Isto é parte do nosso sucesso e o que torna a série tão excitante. E essa é toda a história”.

Atualmente na 14º temporada, “Grey’s Anatomy” acompanha o cotidiano dos médicos de um hospital de Seattle, nos Estados Unidos, enquanto cuidam de pacientes e tentam manter seus relacionamentos amorosos. Mesmo após tanto tempo, a atração criada em 2005 por Shonda Rhimes continua a ser líder de audiência da rede americana ABC.

A série é exibida no Brasil pelo canal pago Sony.

Veja a nota original da produtora abaixo.

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.

Back to site top
Change privacy settings