Melhor filme europeu de 2017, The Square vence seis prêmios da Academia Europeia de Cinema

A Academia Europeia de Cinema divulgou os vencedores de seus prêmios de 2017, os European Film Awards, equivalente continental ao Oscar americano. E o grande vencedor foi a comédia sueca “The Square”, de Ruben Ostlund. Além de vencer como Melhor Filme Europeu do ano, faturou mais cinco prêmios – Melhor Comédia, Diretor, Ator, Roteiro e Design de Produção.

“The Square” já tinha vencido a Palma de Ouro no Festival de Cannes 2017. Em tom de humor negro, acompanha o curador de um importante museu de arte contemporânea de Estocolmo, que a partir de um pequeno incidente desencadeia uma série de situações vexaminosas. Intérprete do curador, o dinamarquês Claes Bang (da série “Bron/Broen”) venceu o prêmio de Melhor Ator, enquanto o cineasta Ruben Östlund faturou duas estatuetas, como diretor e roteirista do filme. Ele já tinha causado boa impressão com seu filme anterior, “Força Maior” (2014), exibido e premiado na seção Um Certo Olhar do Festival de Cannes há três anos.

O filme premiado vai ser lançado no Brasil em 4 de janeiro com o subtítulo “A Arte da Discórdia”.

Entre os demais, “Com Amor, Van Gogh” foi premiado como Melhor Animação, o drama de época britânico “Lady Macbeth” levou o prêmio da crítica, “Corpo e Alma” premiou a atriz tcheca Alexandra Borbély, “120 Batimentos por Minuto” rendeu um troféu de montador para o cineasta francês Robin Campillo, e a produção russa “Loveless” se destacou com dois prêmios técnicos.

Confira a lista completa dos vencedores abaixo.

Melhores do Ano: European Film Awards 2017

Melhor Filme Europeu: “The Square” (Suécia)
Melhor Animação: “Com Amor, Van Gogh” (Polônia/Reino Unido)
Melhor Comédia: “The Square” (Suécia)
Melhor Documentário: “Communion” (Polônia)
Melhor Descoberta – Prêmio da Crítica: “Lady Macbeth” (Reino Unido)
Melhor Diretor: Ruben Östlund, por “The Square” (Suécia)
Melhor Atriz: Alexandra Borbély, em “Corpo e Alma” (Hungria)
Melhor Ator: Claes Bang, em “The Square” (Suécia)
Melhor Roteiro: Ruben Östlund, por “The Square” (Suécia)
Melhor Edição: Robin Campillo, por “120 Batimentos por Minuto” (França)
Melhor Fotografia: Michail Krichman, por “Loveless” (Rússia)
Melhor Trilha Sonora: Evgueni Galperine e Sacha Galperine, por “Loveless” (Rússia)
Melhor Som: Oriol Tarragó, por “Sete Minutos Depois da Meia-Noite” (Espanha)
Melhor Design de Produção: Josefin Asberg, por “The Square” (Suécia)
Melhor Figurino: Katarzyna Lewinska, por “Pokot” (Polônia)
Melhor Maquiagem: Leendert van Nimwegen, por “Amaldiçoada” (Holanda)
Melhor Curta-Metragem: “Timecode”, de Juanjo Giménez (Espanha)
Prêmio do Público: “Stefan Zweig: Farewell to Europe”, de Maria Schrader (Alemanha/Áustria)
Prêmio por Realização no Cinema Estrangeiro: Julie Delpy (França)
Prêmio pela Carreira: Aleksandr Sokurov (Rússia)