Divulgação/Warner

Vexame! Johnny Depp é convidado a sair de Animais Fantásticos

O ator Johnny Depp foi forçado pela produtora Warner Bros. a abdicar de sua participação na franquia “Animais Fantásticos”, do universo cinematográfico de Harry Potter.

A demissão foi anunciada dias pelo próprio Depp, dias depois de perder uma batalha legal que ele próprio começou, ao processar o jornal inglês The Sun por tê-lo chamado de “espancador de esposa” durante seu casamento com a atriz Amber Heard. Com a derrota nos tribunais, ele se tornou um “espancador de esposa” reconhecido judicialmente.

Em uma carta aberta, publicada nas redes sociais, Depp assumiu que sua saída foi solicitada pelo estúdio. Ele agradeceu “o apoio e a lealdade” de quem lhe enviou mensagens e disse que ainda vai lutar contra as alegações feitas pelo tabloide inglês.

“Gostaria de dizer que a Warner Bros. me pediu para renunciar do meu papel como Grindewald em ‘Animais Fantásticos’ e eu respeitei e concordei com o pedido”, escreveu Depp, na nota postada no Instagram.

“O julgamento surreal da corte no Reino Unido não vai mudar a verdade e eu confirmo que planejo fazer a apelação. Minha resolução permanece forte, e eu pretendo provar que as alegações contra mim são falsas. Minha vida e minha carreira não serão definidas por esse momento.”

A Warner Bros. confirmou a saída do ator e deve substitui-lo para o terceiro filme da franquia, ainda sem nome, supostamente previsto para novembro de 2021.

Depp processou a News Group Newspapers (NGN), que publica o The Sun, e um de seus jornalistas, Dan Wootton, que em 2018 escreveu o artigo que chama Depp de “espancador de esposa”, justamente num contexto em que envolvia a participação do ator na franquia da Warner.

Tanto Depp quanto Heard depuseram diante do juiz Andrew Nicol durante uma audiência de três semanas na Alta Corte de Londres, expondo alguns dos momentos mais sombrios de seu casamento de curta duração para o tribunal – e o mundo.

Ao anunciar a decisão na segunda (2/11), Nicol afirmou que os argumentos apresentados pelo jornal para descrever o comportamento do ator eram “substancialmente verdadeiros”.

A situação se tornou um pesadelo de relações públicas para a Warner, que, além de ter Depp em seu filme, ainda precisa lidar com o fato de a escritora J.K. Rowling, responsável pela história, enfrentar cancelamento nas redes sociais por posições assumidamente transfóbicas. Até o ator Eddie Redmayne, protagonista de “Animais Fantásticos”, perdeu fãs ao defender Rowling.

O estúdio também trabalha com Amber Heard na franquia “Aquaman”.

O terceiro “Animais Fantásticos” era o único filme de Depp em andamento. Assim, ele só tem um compromisso profissional previsto: ajudar a divulgar o lançamento de “Minamata”, rodado no ano passado e, até o momento, último filme de sua carreira – com estreia marcada para o começo de 2021.

Mas, devido à sua saída de “Animais Fantásticos”, o ator deverá enfrentar outro compromisso judicial. Ele perdeu a justificativa para adiar a audiência de um segundo processo que ele mesmo abriu.

No começo de 2021, Depp deverá comparecer a um tribunal no estado americano da Virgínia, onde está processando Heard por US$ 50 milhões devido a uma coluna assinada por ela no jornal Washington Post, na qual escreveu sobre violência doméstica – sem citar o ex-marido. Depois desta ação, a própria atriz também decidiu abrir processo contra Depp, pedindo US$ 100 milhões por causa da campanha de difamação judiciária movida por ele, que pode trazer prejuízos a sua imagem e carreira. Estes dois julgamentos são sombras que ainda pairam sobre o futuro do ator.