Reprodução/The Sun

Processo de Johnny Depp contra jornal traz à tona novas fotos de drogas e supostas agressões

O processo movido por Johnny Depp contra o jornal britânico The Sun por difamação, devido a um artigo de abril de 2018 em que foi chamado de “espancador de esposa”, continua a trazer à tona detalhes da vida privada do ator, que, por sua vez, alimentam novas publicações sensacionalistas. Nada disso pode ser considerado surpresa.

Consumo de drogas até cair, cabeçada na cara da esposa, cabelos arrancados, ameaças de morte violenta à pets e acusação de estupro contra o colega James Franco são as últimas revelações feitas no tribunal de Londres, em que a defesa da publicação explora ao máximo o esforço voluntário de autodestruição de Depp.

Em sua cobertura exclusiva do julgamento, como parte no processo, o jornal britânico publicou fotos em que Depp aparece passando mal após excessos de álcool e drogas, imagens de um café da manhã regado a cocaína, uísque e vinho, novos selfies de Amber Heard machucada após discussões e registros da destruição supostamente causada por Depp em sua casa após brigas e na propriedade que casal ocupou na Austrália durante as filmagens de “Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar” (2017).

Uma das fotos mostra uma mesa de café da manhã com tabaco, uísque, quatro carreiras de cocaína e um CD de Keith Richards, guitarrista dos Rolling Stones, com quem Depp trabalhou na franquia “Piratas do Caribe”. Na época, o ator filmaria um documentário sobre os Stones, que nunca saiu do papel. Em outra imagem, o ator é visto dormindo no chão, supostamente após desmaiar pelo consumo de drogas e álcool.

Amber Heard afirma que Depp sequer conseguia ir ao trabalho e uma vez tentou acordá-lo por quatro horas para que fosse ao set de filmagens.

De acordo com o Sun, a atriz também contou que os pets do casal foram vítimas dessa rotina desregrada. Um deles acabou comendo parte da maconha que Depp guardava. Outro, o yorkshire Pistol, foi segurado com a cabeça para fora da janela do carro, enquanto o ator estava alcoolizado. Depp também teria ameaçado, segundo a defesa, colocar o cãozinho no microondas para matá-lo.

O nome do ator James Franco foi envolvido no processo com a revelação de uma discussão em 2014. Depp teria usado termos chulos contra Heard, acusando-a de gostar de transar com o “estuprador” James Franco.

Heard e Franco trabalharam juntos no filme “Segurando as Pontas”. Nesta época, Depp teria atacado a atriz com cubos de gelo e chutado uma cadeira em sua direção, num dos episódios de violência doméstica que motivaram o artigo do Sun.

A advogada Sasha Wass, representante do jornal no processo, questionou os motivos de Depp para chamar Franco de “estuprador”. “Você estava com uma raiva cega, querendo saber como ela gostava de Franco. Estava tão bravo que deu um tapa nela nesta discussão”, acusou ela, durante interrogatório do ator.

Depp negou a agressão e afirmou que só se referiu a ele como estuprador porque Heard tinha mencionado que ele se insinuou sobre ela. “Foi uma palavra que me veio à cabeça quando ela descreveu essa situação para mim. Ela disse que ele se inclinou sobre ela, dizendo que iria beijá-la e que teve de correr para evitar seus avanços”, alegou o ator. “Se eu usei a palavra estuprador, foi porque ela a usou.”

Pressionado, Depp teria caído em contradição, segundo a cobertura do jornal. Após negar ter agredido sua ex-esposa, ele acabou admitindo que “acidentalmente” a atingiu entre os olhos. Isto aconteceu depois que a advogada revelou o áudio de uma discussão em que Depp diz: “Eu te dei uma cabeçada a p*** da sua testa. Isso não quebra um nariz”.

Ao se explicar, Depp disse que tentou “agarrar” os braços da ex-esposa para “controlar a violência” e “impedi-la de me bater e me dar um soco”. Ele disse ao tribunal: “Não houve cabeçada intencional”.

Outras revelações bombásticas publicadas pelo The Sun nesta quinta (9/7) incluem declarações e imagens de Heard que revelam cabelos arrancados pelo ator numa briga e marcas de agressão. Além da cabeçada, ela alega ter sido estrangulada e empurrada sobre uma mesa de pingue-pongue, entre outros episódios de violência em sua casa em Los Angeles e na Austrália. Fotos da destruição causada por acessos de fúria também foram apresentadas.

A advogada do jornal também questionou uma série de mensagens de texto trocadas entre Depp e o ator Paul Bettany, em que ele chama Heard de bruxa, confessando que gostaria de “queimar” e “afogar” a ex-esposa, entre outros detalhes macabros e de mau gosto. “Vamos queimar Amber”, diz uma mensagem datada de 6 de novembro de 2013. “Depois f**** seu corpo queimado”.

Questionado sobre se considerava sua ex-esposa uma “bruxa” por tentar impedir que se drogasse ou bebesse até cair, ele admitiu queixas contra Heard por conta disso. “Ela não gostava que eu usasse álcool e drogas, porque tinha uma ideia delirante de que isso me tornava num… dito monstro”, o ator afirmou.

Por essas e outras situações pouco engrandecedoras, o diário britânico tem feito a festa com o processo. Vale considerar que o ônus da prova cabe à publicação, que precisa demonstrar porque não cometeu difamação ao chamar Depp de “espancador de esposa”. Segundo o veículo de imprensa, o artigo não é difamatório porque é verdadeiro.

Foi Depp quem estendeu o tapete vermelho para a imprensa sensacionalista transformar os detalhes privados de sua vida em uma série de reportagens. Ao decidir processar o Sun, voluntariou-se a testemunhar sobre seu estilo de vida e revelar detalhes pouco recomendáveis de sua vida privada. Na terça (7/), ele já tinha sido obrigado a defender sua iniciativa de oferecer maconha à filha, Lily-Rose, quando ela tinha 13 anos.

Ele também está processando Amber Heard nos EUA, por ela dizer ter sido vítima de violência doméstica. A atriz de 34 anos referiu-se a seu casamento com o ator de 57 anos de “anos” de violência “física e psicológica”, acusações fortemente contestadas por ele, e que renderão novos revelações nos tribunais americanos, depois do julgamento britânico.

Veja abaixo reproduções do site thesun.co.uk com as imagens reveladas pela defesa do jornal.