Johnny Depp aposta sua reputação em processo contra jornal que o chamou de “espancador de esposa”

O ator Johnny Depp compareceu hoje a um tribunal de Londres como parte no processo que está movendo contra o tabloide The Sun, a empresa News Group, que edita o jornal, e seu editor-executivo Dan Wootton. Depp abriu um processo de difamação por causa de um artigo que Wootton escreveu em 2018 chamando-o de “espancador de esposa”.

A ação está em fase de defesa preliminar e será julgada em 23 de março.

Tanto Depp quanto sua ex-esposa, Amber Heard, se acusaram de abuso físico durante o relacionamento. Heard fez as alegações pela primeira vez em 2016, durante seu pedido de divórcio.

“Um deles está mentindo e fazendo isso em grande escala”, disseram os advogados de Depp em comunicado distribuído a jornalistas.

“Portanto, é uma função muito importante desse julgamento por difamação que essas alegações sejam testadas e provadas ou refutadas.”

O ônus da prova cabe ao The Sun, que precisa demonstrar porque não cometeu difamação. Segundo o jornal, o artigo não é difamatório porque é verdadeiro.

Caso o jornal consiga provar que Depp abriu o processo sem causa, a repercussão pode representar mais um dano à reputação do ator.

Ele também está processando a ex-esposa por espalhar ter sido vítima de violência doméstica.

O filme mais recente do ator, “Minamata”, teve première mundial na sexta passada (21/2) no Festival de Berlim, onde não agradou a crítica – atingiu apenas 30% de aprovação no Rotten Tomatoes.