Divulgação

Pandemia cancela minissérie sobre a vida de Evel Knievel

A Universal desistiu de transformar a vida do motociclista acrobático Evel Knievel numa série. A produção seria estrelada pelo ator Millo Ventimiglia (“This Is Us”) e exibida no canal pago USA Network, e estava prestes a começar a ser gravada quando a pandemia de coronavírus interrompeu todos os trabalhos de filmes e séries.

A série tinha recebido sinal verde em setembro passado e fechou seu elenco central em dezembro, com Sarah Gadon (“True Detective”), David Krumholtz (“The Deuce”) e Michael Chernus (“Orange is the New Black”).

Etan Frankel (“Shameless”) escreveu a trama, que foi descrita como um retrato emocionante de um homem complexo vivendo o sonho americano, equilibrando uma fama meteórica com a criação de sua família e encarando a possibilidade de que seu próximo salto pudesse matá-lo.

Pra quem não sabe, Evel Knievel foi um dos grandes ícones americanos dos anos 1970, graças a seus audaciosos saltos de motocicleta em distância, sempre usando um uniforme com capa, como um super-herói. Ao todo, ele saltou 75 vezes entre rampas distantes, entre 1965 e 1980, muitas vezes caindo e se machucando diante de espectadores em eventos de cobertura nacional. Seu nome, por sinal, está no livro Guinness dos Recordes não pela quantidade de saltos, mas pelas 433 costelas quebradas ao longo da carreira. Knievel chegou a ficar em coma por 29 dias em 1967, após uma de suas manobras mais arriscadas.

Sua vida de excessos lhe rendeu o título de motociclista mais audacioso de todos os tempos – e foi a inspiração para a criação do Motoqueiro Fantasma nos quadrinhos.

Ele morreu em 2007, aos 69 anos, devido a um doença pulmonar.

A decisão de abandonar a telebiografia se deu por conta da agenda do ator Ventimiglia. Ele planejava gravar a minissérie durante o hiato de “This Is Us”, que estrela na rede NBC. Mas como o cronograma original não pôde ser cumprido, ele só teria nova folga em 2021. Mesmo assim, os protocolos de higiene e segurança criados após a pandemia tendem a aumentar o período das gravações, comprometendo sua disponibilidade para as duas produções.

Caso a condições sejam favoráveis, o estúdio ainda pode tentar realizar a produção em 2021, mas não para o USA. Segundo apurou o site The Hollywood Reporter, a ideia agora é tentar salvar o projeto com sua negociação para alguma plataforma de streaming.