Recém-lançado nos cinemas, Bloodshot terá venda digital na próxima semana

Recém-lançado nos cinemas, o filme de ação “Bloodshot”, estrelado por Vin Diesel, será disponibilizado para venda digital na próxima terça-feira (24/3), 12 dias após sua estreia cinematográfica.

A iniciativa da Sony reflete o fechamento de cinemas em todo o mundo, como precaução contra a pandemia de coronavírus, e acompanha antecipações da comercialização digital de filmes dos estúdios Warner, STX e Universal.

O preço de varejo sugerido é de US$ 19,99 nos EUA, mesmo valor que a Universal vai cobrar pela versão digital de “O Homem Invisível”, “Trolls 2”, “Emma” e “A Caçada”. Os três últimos são inéditos nas telas brasileiras. A diferença é a Sony pretende cobrar este valor por uma cópia digital definitiva de “Bloodshot”, enquanto a Universal oferece apenas locação por 48 horas de seus filmes.

Todos os estúdios tentarão comercializar seus novos títulos por valor equivalente nos mercados internacionais, para minimizar as perdas de receitas de cinema.

A medida derruba de vez a janela tradicional de estreias. Geralmente, filmes demoram até 90 dias entre seu lançamento nos cinemas e a chegada para locação digital. Mas a crise de saúde precipitou o adiantamento geral das ofertas.

“Bloodshot” estreou no Brasil na quinta-feira passada (12/3) e até o momento faturou US$ 24,5 milhões em todo o mundo. Como a produção custou US$ 45 milhões só para ser filmada, não vai se pagar apenas com as bilheterias, especialmente após a quantidade de salas abertas diminuir drasticamente nos últimos dias.

O filme é uma adaptação de quadrinhos criados em 1992 por Kevin VanHook e Yvel Guichet, e, além de Diesel, inclui em seu elenco Eiza González (“Em Ritmo de Fuga”), Toby Kebbell (“Quarteto Fantástico”), Talulah Riley (“Westworld”), Lamorne Morris (“New Girl”), Jóhannes Haukur Jóhannesson (“Os Inocentes”) e Guy Pearce (também de “Os Inocentes”, da Netflix).

O roteiro foi escrito por Eric Heisserer (“Bird Box”) e Jeff Wadlow (“Kick-Ass 2”) e a direção é de Dave Wilson, que estreou na função após trabalhar em diversos blockbusters (inclusive da Marvel) como técnico de efeitos visuais.