Showrunner de SEAL Team é demitido após investigação sigilosa da CBS

O roteirista-produtor John Glenn foi afastado da função de showrunner da série “SEAL Team” após uma investigação sigilosa e não especificada da produtora CBS Television Studios. Seu acordo de produção com o estúdio também foi rescindido.

Os motivos estão sendo abafados.

A rede CBS e a CBS TV Studios não comentaram a saída repentina do showrunner. Mas Glenn emitiu um comunicado, em que se despede da produção sem mencionar porque está saindo.

“Estou orgulhoso do trabalho que fizemos – e gostei muito de ter tido a chance de contribuir para o sucesso criativo e comercial [de ‘SEAL Team’] . Durante meu período como showrunner, tive o prazer de poder contratar, desenvolver e apoiar vários produtores, escritores e membros da equipe que compartilharam nossa paixão por tentar tornar a série tudo o que poderia ser”, ele escreveu.

“Embora produzir um programa como ‘SEAL Team’ seja um trabalho árduo, eu também acreditava fortemente em ouvir quaisquer preocupações que surgissem no meu caminho e em fazer concessões importantes para as necessidades profissionais e a vida pessoal de nossa equipe. Estou ansioso pelos meus próximos passos profissionalmente”, completou.

Glenn, cujos créditos também incluem a minissérie “Hatfields & McCoys”, juntou-se a ‘SEAL Team’ como showrunner em maio de 2018, depois da 1ª temporada. Fontes do site Deadline afirmam que o seu assistente, o produtor executivo Spencer Hudnut, servirá como showrunner interino e que a produção não será afetada pelas mudanças de comando.

A 3ª temporada da série produzida pela CBS TV Studios e estrelada por David Boreanaz será lançada em 2 de outubro.

A saída súbita de John Glenn é a mais recente controvérsia envolvendo produtores da CBS, que no ano passado rompeu relações com seu antigo CEO Leslie Moonves, após denúncias de abuso e assédio sexual. O produtor Jeff Fager, do programa jornalístico “60 Minutes”, renunciou alguns dias depois pelos mesmos motivos.

Em outubro, a CBS TV Studios demitiu Brad Kern, showrunner de “NCIS: New Orleans”, depois de duas investigações sobre alegações de assédio sexual, discriminação contra mulheres e comentários racistas. Outro produtor daquele programa, Adam Targum, saiu abruptamente três meses depois.

Para completar, na semana passada Walter Mosley foi dispensado como roteirista de “Star Trek: Discovery”, depois de usar uma palavra racista no ambiente de trabalho.