Raio Negro enfrenta supervilões em novos trailers da 2ª temporada


A rede CW divulgou 15 fotos e dois novos trailers da estreia da 2ª temporada de “Black Lightning”, a série do herói Raio Negro da DC Comics. As prévias destacam o protagonista e suas filhas enfrentando os supervilões Painkiller (Jordan Calloway, de “Riverdale”), Tobias Whale (Marvin “Krondon” Jones III) e a capanga top model Syonide (Charlbi Dean Kriek, de “Corrida Mortal 3”).

Desenvolvida pelo casal Salim e Mara Brock Akil (das séries “The Game” e “Being Mary Jane”), a série se diferencia das demais produções da DC não apenas por seu elenco majoritariamente negro, mas porque encontra o herói, em sua identidade de Jefferson Pierce, uma década depois dele se aposentar do combate ao crime para priorizar sua família. Porém, eventos trágicos o trazem de volta à vida de vigilante mascarado. E não demora para ele descobrir que suas duas filhas também começaram a manifestar superpoderes.

A 2ª temporada terá que lidar com a eletricidade da filha caçula e marrenta do personagem, que além de ficar poderosa descobrirá que seu ex-namorado Khalil se transformou no vilão Painkiller.

“Black Lightning” é estrelada por Cress Williams (“Prison Break” e “Code Black”) como Raio Negro, Christine Adams (série “Terra Nova”) como sua ex-esposa, Nafessa Williams (também da série “Code Black”) e China Anne McClain (“Gente Grande”) como suas filhas, conhecidas nos quadrinhos pelos codinomes de Tormenta (Thunder) e Rajada (Lightning), James Remar (série “Dexter”) como seu mentor Peter Gambi (que é um mix de Alfred e Oráculo) e Damon Gupton (série “Bates Motel”) como o policial Bill Henderson.


Embora não participe dos crossovers das outras séries de super-heróis da rede CW, a atração compartilha com “Arrow”, “The Flash”, “Supergirl”, “Legends of Tomorrow” e a vindoura “Batwoman” o mesmo produtor, Greg Berlanti.

A estreia da 2ª temporada acontece nesta terça (9/10) nos Estados Unidos. A série é disponibilizada pela Netflix no Brasil.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings