Guillermo Del Toro é acusado de plagiar peça de vencedor do Pulitzer em A Forma da Água

O escritor americano David Zindel está acusando o filme “A Forma da Água”, que recebeu 13 indicações ao Oscar 2018, de plágio. Segundo a acusação, o roteiro do diretor Guillermo Del Toro e Vanessa Taylor copiam a peça de teatro “Let Me Hear You Whisper”, escrita por seu pai Paul Zindel (1936–2003), vencedor do prêmio Pulitzer (por outra peça, “The Effect of Gamma Rays on Man-in-the-Moon Marigolds”).

A peça de Zindel conta a história de Helen, uma zeladora que se apaixona por um golfinho mantido em cativeiro pelo governo. Para salvar a vida do animal, ela arma um plano para driblar a segurança máxima do local e retirá-lo de lá. A forma como ela arquiteta a fuga do seu amado é bem semelhante ao mostrado no filme de Del Toro.

No filme de Del Toro, Sally Hawkins vive uma faxineira muda que se apaixona por uma criatura marinha, que é mantida em cativeiro em um laboratório secreto do governo, e arma um plano para driblar a segurança máxima do local e retirá-lo de lá.

O longa é uma produção de época passada nos anos 1960, enquanto peça é uma produção contemporânea, mas feita nos anos 1960. A história de Zindel foi inclusive transformada num telefilme em 1969.

“Estamos chocados que um estúdio desse tamanho possa fazer um filme obviamente baseado no trabalho do meu pai, achando que ninguém reconheceria, ou sem nos perguntar sobre os direitos”, disse Zindel, em email enviado ao jornal inglês The Guardian. “Não sou o único impressionado com as semelhanças entre as duas partes e estamos muito gratos aos fãs de Paul Zindel por terem nos avisado sobre o que estava acontecendo”.

Apesar da similaridade das tramas, um representante do estúdio Fox Searchlight manifestou-se em defesa de Del Toro, afirmando que o cineasta sequer conhecia a obra de Zindel e tudo não passa de coincidência. “O Sr. del Toro construiu uma carreira ao longo de 25 anos, na qual fez 10 filmes e sempre foi muito aberto sobre aquilo que o influenciou. Se a família Zindel tem perguntas sobre esse trabalho original, estamos abertos ao diálogo”.

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings