Diane Keaton defende Woody Allen com resgate de entrevista da época do suposto abuso

Alec Baldwin não é o único que acha que a onda recente de repúdio a Woody Allen é “injusta e triste”. A atriz Diane Keaton, parceira de longa data do diretor, publicou no Twitter uma antiga entrevista em que Allen aborda as acusações de Dylan Farrow. Produzido na época em que o suposto abuso teria acontecido, o especial do programa “120 Minutes” traz o diretor afirmando aquilo que sempre disse: que é inocente e que sua ex-mulher Mia Farrow plantou a ideia do abuso para prejudicá-lo.

“Woody Allen é meu amigo e continuo acreditando nele”, escreveu a atriz. “Pode ser do interesse de todos conferir a entrevista do ’60 Minutes’ de 1992 para ver o que acham”.

O tuíte de Keaton se junta aos de Alec Baldwin, que comparou Dylan Farrow com a personagem de “O Sol É para Todos”, que mente sobre um estupro, levando um homem negro inocente à prisão.

A opinião da atriz também se contrapõe ao movimento coletivo de repúdio ao diretor, embalado pelo movimento #MeToo, que fez com que Timothée Chalamet e Rebecca Hall se vissem compelidos a doar seus salários após participarem do filme mais recente de Allen, “A Rainy Day in New York”. Outros, incluindo Colin Firth, Greta Gerwig, Marion Cotillard e Mira Sorvino, disseram que se arrependeram de trabalhar com ele e não voltarão a fazer isso novamente, enquanto Kate Winslet preferiu mencionar “certos cineastas” no mesmo contexto.

Woody Allen sempre negou as acusações de que tivesse agido de forma imprópria com a filha. Mas Dylan retomou as denúncias no rastro do #MeToo e prometeu, entre lágrimas, não parar até destruir a carreira de Woody Allen – como disse numa recente e emocional entrevista televisiva. Ela vem assediando atores que trabalharam com o pai adotivo para cobrar que o reneguem. E os que não o fazem são constrangidos por ela, como aconteceu recentemente com Justin Timberlake.

Por conta disso, Allen estaria enfrentando dificuldades para conseguir que atores se comprometam com seu próximo filme. Não só isso. Diversos artigos publicados no domingo (28/1) apontaram que a carreira do diretor pode ter chegado a um encruzilhada, com a Amazon querendo encerrar o acordo de distribuição de suas obras, a ponto do lançamento do já filmado “A Rainy Day in New York” correr o risco de ser cancelado.

Esta enorme repercussão negativa motivou Diane Keaton a resgatar a antiga entrevista, que pode ser vista abaixo.