Planeta dos Macacos: A Guerra estreia com bilheteria recorde na China

“Planeta dos Macacos: A Guerra” atingiu um faturamento muito acima do previsto em seu lançamento na China, juntando-se aos três filmes que bateram recordes cinematográficos neste fim de semana – “It: A Coisa”, que estabeleceu novo recorde de arrecadação de terror na América do Norte, “Mãe!”, responsável pela pior abertura da carreira de Jennifer Lawrence, e “Dunkirk”, promovido a maior bilheteria mundial de um filme de guerra.

A ficção científica do diretor Matt Reeves abriu com US$ 62,3 milhões em sua estreia chinesa, faturando mais em seus três dias iniciais no país do que em sua abertura nos Estados Unidos e no Canadá há dois meses. O filme também tinha conquistado o 1º lugar em sua estreia na América do Norte, mas na ocasião fez US$ 56,5 milhões.

O resultado é a maior estreia de um filme da Fox na China, num aumento de 42% em relação ao título anterior da franquia, “Planeta dos Macacos: O Confronto” (2014). O desempenho também é 20% melhor que o antigo recordista do estúdio: “Logan”, lançado no começo do ano.

Graças ao volume monetário proveniente da China, “Planeta dos Macacos: A Guerra” virou a maior bilheteria internacional do fim de semana, superando “It: A Coisa”, que somou US$ 60,3 milhões nos últimos três dias no exterior.

Elogiadíssimo pela crítica (93% de aprovação no site Rotten Tomatoes), o filme ainda estava no vermelho nas contas da Fox, graças ao orçamento elevado de US$ 150 milhões, responsável por bancar os efeitos especiais mais realistas e épicos da franquia.

Com a arrancada chinesa, o terceiro “Planeta dos Macacos” finalmente saiu da sombra do remake de Tim Burton, considerado um fracasso em 2001 com US$ 362,2 milhões mundiais.

A produção atingiu US$ 433,7 milhões em todo o mundo, dos quais apenas 33,6% (US$ 145,8 milhões) foram conquistados na América do Norte.

Embora não vá repetir o feito mundial do segundo filme (US$ 710,6 milhões), agora deve ultrapassar o longa inaugural, “Planeta dos Macacos: A Origem”, que fez US$ 481,8 milhões em 2011. “A Guerra” ainda vai estrear em outubro no Japão.

O bom resultado no cobiçado mercado chinês pode até animar a Fox a continuar a franquia, após sinalizar esgotamento do ciclo.