Produtores de London Fields processam Amber Heard por se recusar a fazer cenas de nudez e promover seu filme



A atriz Amber Heard está sendo processada pelos produtores de “London Fields”, suspense que ela estrelou e que não foi lançado comercialmente. Segundo a acusação, a atriz se recusou a gravar sequências de nudez e sexo simulado e convenceu o diretor a cortar várias de suas cenas provocativas do roteiro, situações que estavam claras no contrato por ela assinado.

“Heard tinha consciência da natureza do papel e do teor do roteiro, que sempre foi lascivo, provocador e repleto de cenas de nudez”, diz o processo obtido pela revista Variety.

Segundo os produtores, seu comportamento fez com que trechos importantes da trama fossem excluídos e/ou reescritos. Além disso, Amber também é acusada de conspiração com o diretor Mathew Cullen em um boicote. Na semana de exibição do filme no Festival de Toronto 2015, Mathew abriu processo contra os produtores acusando-os de fraude por terem incluído sequências controversas na montagem final sem sua autorização. Ele declarou que os produtores não tinham direito de usar seu nome na promoção do projeto e a polêmica levou o Festival a cancelar a sessão da première. Era a estreia de Cullen no cinema, após se destacar fazendo videoclipes, como o de “Dark Horse”, de Katy Perry.

Presente na mostra como parte do elenco de “A Garota Dinamarquesa”, Heard não aceitou divulgar “London Fields” e supostamente pressionou a organização do evento a cancelar as suas exibições. Ela já tinha se recusado a regravar diálogos na pós-produção e também rejeitou conceder entrevistas, contrariando outra cláusula de seu contrato.



Baseado no romance “Campos de Londres”, do britânico Martin Amis, o filme gira em torno da clarividente Nicola Six (Heard), que convive com a premonição de seu próprio assassinato enquanto se envolve com três distintos amantes (vividos por Theo James, Jim Sturgess e Billy Bob Thornton). Um deles será o responsável por seu trágico fim. Qual? Quando?

Com tamanha confusão, o fim trágico acabou causado pela própria protagonista. Não houve distribuidora que se interessasse por lançar a produção após as controvérsias e o longa permanece inédito comercialmente. De acordo com a ação judicial, apenas as atitudes de Amber geraram prejuízo de mais de US$ 10 milhões aos produtores.

A atriz recebeu US$ 7 milhões por seu tumultuado divórcio de Johnny Depp, mas doou todo o valor para entidades beneficentes.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings