Divulgação/MGM

“Tomb Raider” perde estúdio e atriz

A MGM deixou vencer seu contrato para produzir adaptações de “Tomb Raider” e a franquia voltou às mãos do produtor Graham King e sua empresa GK Films. O estúdio tinha direito a produzir projetos durante nove anos, mas só lançou um filme, “Tomb Raider: A Origem”, estrelado por Alicia Vikander em 2018.

Embora tenha anunciado planos de realizar uma sequência, o segundo filme, que seria comandado por Misha Green, criadora de “Lovecraft Country”, nunca saiu do papel e agora as próximas adaptações não devem mais contar com participação de Vikander, que tinha contrato com a MGM para a continuação.

Segundo apurou o site The Hollywood Reporter, vários estúdios e plataformas já fizeram propostas para adquirir o controle da franquia, num leilão acirrado de ofertas.

A MGM, que recentemente foi comprada pela Amazon, fechou seu acordo com a GK Films em 2013, dois anos após Graham King adquirir os direitos de “Tomb Raider” diretamente da produtora de games Square Enix – que lançou o jogo original em 1996. O contrato de nove anos venceu neste mês de julho.

Antes da MGM, a Paramount produziu dois longas da franquia estrelados por Angelina Jolie em 2001 e 2003.

O interesse entre estúdios rivais sinaliza que um novo filme – ou série – de “Tomb Raider” será produzido rapidamente.