Instagram/Luana Piovani

Luana Piovani revela assédio sofrido na Globo

A atriz Luana Piovani revelou ter sofrido assédio sexual no começo da carreira na Globo. Em entrevista à revista Veja, ela disse que foi cortada da novela “Anjo Mau” (1997) após ter se recusado a sentar na perna do diretor Carlos Manga (1928-2015).

“Vivi um abuso aos 20 anos, mas na época era normal e só me dei conta mais tarde. Eu e algumas pessoas, entre elas Luiza Brunet, que seria minha mãe no folhetim, estávamos na sala do diretor Carlos Manga. De longe, ele bateu na perna e disse: ‘senta aqui’. Eu pensei: tiozinho ousado. Sentei no braço da poltrona”, contou ela na entrevista.

Depois disso, ela foi dispensada da produção, sob o pretexto de que “não agregaria”. “Hoje vejo que aquele episódio pode ter pesado”, ponderou.

Piovani também lembrou do episódio em que foi agredida por Dado Dolabella, com quem namorava na época. Ela acredita que o ator não foi devidamente punido.

“Inclusive porque não me agrediu apenas, mas também a camareira da minha peça. Ele a jogou longe, e ela trincou os dois antebraços. Nunca pagou a indenização. Na época, vivi a primeira crise de ansiedade. Não pela agressão, mas pela ressaca daquilo. Brasileiro é cruel, mas fantasiado de engraçadinho”, afirmou.

Por ter se afastado da TV brasileira, Luana disse que ficou livre de ameaças e represálias, e assinem não teve receio de bater de frente com J.B. de Oliveira, o Boninho, durante o “BBB 22”. Ela se recusou a permitir a inclusão de fotos dos filhos com Pedro Scooby no programa.

“Poder tenho eu, que não preciso nem dele nem da Globo. Já precisei, não mais. Quanto à postura do Boninho, só falo do que sei. Ele é um fazedor de dinheiro, responsável pelo maior faturamento da casa. Suponho que seja tratado como rei na Globo. Quanto à qualidade, não conheço seu trabalho. Nunca assistir a um ‘BBB’, só vi trechos. Talvez aquilo seja bom para o diretor: ficar só botando armadilhas para as pessoas caírem. Deve se divertir com isso”, comentou.

Ela defende o direito dos filhos à privacidade. “A minha reivindicação era justa. Sempre tomei o cuidado de minimizar o exagero no uso da minha imagem. Imagina se não teria com meus filhos. Tentei um acordo, ceder para tal prova, mas queriam para a edição toda. E esse ‘BBB’ é tipo Jason, não acaba. Parece ‘Sexta-Feira 13, versão 49′”, debochou.