Divulgação/Fox

Gregory Itzin: Presidente vilão de “24 Horas” morre aos 74 anos

O ator Gregory Itzin, que marcou época na TV com o papel do presidente Charles Logan em “24 Horas”, morreu nesta sexta (8/7) aos 74 anos de idade. Jon Cassar, produtor executivo da série de ação, confirmou a notícia no Twitter, mas não informou a causa da morte.

“Ele foi um dos atores mais talentosos com quem eu tive a honra de trabalhar, mas, mais do que isso, ele foi um ótimo homem. A sua família de ’24 Horas’, que nutria muito amor e respeito por ele, vai sentir sua falta. Ele fez sua marca. Descanse em paz, amigo”, escreveu.

Itzin recebeu duas indicações ao Emmy, em 2006 e 2010, por interpretar Logan na produção da Fox. A princípio um vice-presidente aparentemente covarde, o personagem inspirado em Richard Nixon cresceu e se tornou o vilão da 5ª e melhor temporada de “24 Horas” e o antagonista mais formidável do agente de contraterrorismo Jack Bauer (Kiefer Sutherland). Graças a esse embate, “24 Horas” se consagrou como a Melhor Série de Drama no Emmy de 2006.

Nascido em Washington, DC, em 1948, Itzin estreou nas telas aos 31 anos, como figurante da minissérie “Backstairs at the White House” (1979). Seu primeiro filme foi a comédia “Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu” (1980), também num pequeno papel. E ele ainda voltou na continuação de 1982, mas como outro personagem sem nome.

Sua carreira só começou a deslanchar quando ele optou de vez pelas séries, aparecendo em mais de uma centena de episódios, de “As Panteras” (em 1979) a “NCIS” (em 2020). Ele se tornou um dos atores recorrentes das atrações do megaprodutor Steven Bochco, aparecendo em “Chumbo Grosso” (Hill Street Blues), “LA Law”, “Murder One” e “Nova York Contra o Crime” (NYPD Blue), além de favorito dos produtores de “Star Trek”, que o escalaram em “Deep Space Nine”, “Voyager” e “Enterprise”.

Ele também interpretou o pai de Mike Hannigan (Paul Rudd) em “Friends” e teve papéis recorrentes em “Covert Affairs” e “O Mentalista” (The Mentalist).

Além dos trabalhos nas telas, Itzin se destacou nos palcos, recebendo uma indicação ao Tony Award em 1994 por seu papel na peça “The Kentucky Cycle”, de Robert Schenkkan e três prêmios dos Círculo dos Críticos de Los Angeles por diferentes produções – “Volta ao Lar” e “A Festa de Aniversário”, de Harold Pinter, e “Esperando Godot”, de Samuel Beckett .

Itzin sofreu um ataque cardíaco no palco enquanto interpretava Falstaff de Shakespeare em 2015, mas continuou trabalhando após sua recuperação. Ele deixou o piloto de uma série (“The Pragmatist”) e um filme (“The Requiem Boogie”) inéditos.