Divulgação/Festival de Gramado - Edison Vara

Festival de Gramado anuncia filmes de sua 50ª edição

A organização do Festival de Cinema de Gramado anunciou os filmes de sua competição deste ano, que marca a 50ª edição do evento.

Segundo os organizadores, mais de mil longas e curtas foram inscritos para o festival, mas apenas 50 produções foram selecionadas.

Na disputa do Kikito de Melhor Filme nacional entraram novos trabalhos de Cristiano Burlan (diretor de “Antes do Fim”), Julia Rezende (de “Depois a Louca Sou Eu”), Gabriel Martins (“O Nó do Diabo”), Sérgio de Carvalho (“O Olhar Que Vem De Dentro”), Angelo Defanti (“Meia Hora e as Manchetes que Viram Manchete”), José Eduardo Belmonte (“Alemão”) e Gregório Graziosi (“Obra”).

Desta lista, só Belmonte já foi premiado em Gramado, mas não por longa-metragem – pelo curta “Tepê” (2000).

Além das exibições, estão marcadas homenagens ao diretor Joel Zito Araújo, vencedor do Festival de Gramado de 2004 com “Filhas do Vento”, que receberá o Troféu Eduardo Abelin, e à atriz gaúcha Araci Esteves, vencedora do Festival de Brasília de 1997 por “Anahy de las Misiones”, agraciada com o Troféu Cidade de Gramado.

Mais detalhes da programação e outras homenagens serão anunciadas no próximo dia 13 de julho, em evento a ser realizado no Rio de Janeiro.

O 50º Festival de Gramado vai acontecer na serra gaúcha entre os dias 12 e 20 de agosto.

Confira abaixo lista de filmes selecionados para a disputa do troféu Kikito.

Longas-metragens brasileiros

“A Mãe”, de Cristiano Burlan
“A Porta ao Lado”, de Julia Rezende
“Marte Um”, de Gabriel Martins
“Noites Alienígenas”, de Sérgio de Carvalho
“O Clube dos Anjos”, de Angelo Defanti
“O Pastor e o Guerrilheiro”, de José Eduardo Belmonte
“Tinnitus”, de Gregório Graziosi

Longas-metragens estrangeiros

“9” (Uruguai/Argentina), de Martín Barrenechea e Nicolás Branca
“Cuando Oscurece” (Argentina/Uruguai), de Néstor Mazzini
“El Camino de Sol” (México), de Claudia Sainte-Luce
“Inmersión” (Chile), de Nicolas Postiglione
“La Boda de Rosa” (Espanha/França), de Iciar Bollain
“La Pampa” (Peru/Chile/Espanha), de Dorian Fernández Moris
“O Último Animal” (Portugal/Brasil), de Leonel Vieira

Longas-metragens gaúchos

“Casa Vazia”, de Giovani Borba
“Campo Grande é o Céu”, de Bruna Giuliatti, Jhonatan Gomes e Sérgio Guidoux
“Despedida”, de Luciana Mazeto e Vinícius Lope
“Don Never Raised – Cachorro Inédito”, de Bruno de Oliveira
“5 Casas”, de Bruno Gularte Barreto

Curtas-metragens brasileiros

“Benzedeira”, de Pedro Olaia e San Marcelo
“Deus Não Deixa”, de Marçal Vianna
“Fantasma Neon”, de Leonardo Martinelli
“Imã de Geladeira”, de Carolen Meneses e Sidjonathas Araújo
“Mas Eu Não Sou Alguém”, de Gabriel Duarte e Daniel Eduardo
“O Elemento Tinta”, de Luiz Maudonnet e Iuri Salles
“O Fim da Imagem”, de Gil Baroni
“O Pato”, de Antônio Galdino
“Serrão”, de Marcelo Lin
“Socorro”, de Susanna Lira
“Último Domingo”, de Joana Claude e Renan Barbosa Brandão
“Um Tempo pra Mim”, de Paola Mallmann
“Solitude”, de Tami Martins e Aron Miranda
“Tekoha”, de Carlos Adriano

Curtas-metragens gaúchos

“A Diferença entre Mongóis e Mongoloide”, de Jonatas Rubert
“Apenas para Registro”, de Valentina Ritter Hickmann
“Drapo A”, de Alix Georges e Henrique Lahude
“Fagulha”, de Jéssica Menzel e Jp Siliprandi
“Johann e os Imãs de Geladeira”, de Giordano Gio
“O Abraço”, de Gabriel Motta
“Madrugada”, de Leonardo da Rosa e Gianluca Cozza
“Mby’a Nhendu”, de Gerson Karaí Gomes
“Mora”, de Sissi Betina Venturin
“Nação Preta do Sul – O curta”, de Nando Ramoz e Gabriela Barenho
“Nós que Fazemos Girar”, de Lucas Furtado
“Olho por Mim”, de Marcos Contreras
“Perfection”, de Guilherme G. Pacheco
“Possa Poder”, de Victor Di Marco e Márcio Picoli
“Sinal de Alerta Lory F”, de Fredericco Restori
“Sintomático”, de Marina Pessato
“Tudo Parece em Constante Movimento”, de Cristine de Bem e Canto