Instagram/Rebel Wilson

Rebel Wilson foi forçada a sair do armário por colunista social

A atriz e comediante australiana Rebel Wilson (“De Volta ao Baile”), que na semana passada assumiu estar namorando uma mulher, foi na verdade forçada a sair do armário por um colunista de celebridades, que estava prestes a publicar detalhes sobre o seu relacionamento com a empresária Ramona Agruma.

Na quinta-feira (9/5), ela publicou uma foto com a namorada em seu Instagram, escrevendo na legenda: “Pensei estar procurando por um príncipe da Disney… Mas talvez o que eu realmente precisava todo esse tempo era de uma princesa da Disney”.

Depois da repercussão, a atriz agradeceu o apoio dos fãs nas redes sociais, dando a entender que a decisão de se assumir não foi fácil. Ela escreveu: “Obrigada pelos comentários, esta é uma situação muito difícil, mas estou tentando lidar com leveza”.

No fim de semana, o colunista de celebridades Andrew Hornery, do jornal australiano The Sydney Morning Herald, revelou sua responsabilidade, escreveu barbaridades, arrependeu-se, derrubou sua coluna e pediu desculpas.

O que motivou Rebel Wilson a se assumir foi um e-mail do colunista, dando um prazo de um dia e meio para ela assumir o romance e contar a história, ou ele publicaria o nome de sua namorada sem comentários. O próprio colunista revelou seu ultimato num texto que provocou críticas generalizadas nas redes sociais, com ativistas LGBTQIA+ dizendo que era inaceitável pressionar as pessoas a saírem do armário.

Em resposta à polêmica, o jornal inicialmente negou ter pressionado a atriz nessa situação, dizendo que havia “simplesmente feito perguntas”. Mas logo o colunista admitiu que houve “passos mal dados em nossa abordagem”.

No texto original, ele escreveu que tinha “detalhes suficientes para publicar” e “várias fontes”, dando para atriz o prazo de sexta-feira às 13h para comentar. Mas a atriz não respondeu ao e-mail e fez sua própria postagem.

Ao perder o “furo”, Hornery partiu pra cima da comediante, publicando um texto polêmico no sábado (11/6), que foi tirado do ar ao viralizar no fim de semana com comentários negativos. Na coluna apagada, ele escreveu que Rebel Wilson havia “optado por capitalizar em cima da história” depois que ele entrou em contato com ela. Ele acrescentou que “a escolha dela de ignorar nossas perguntas discretas, genuínas e honestas foi, em nossa opinião, decepcionante”.

O colunista só percebeu a chantagem assumida quando se viu forçado a se retratar.

“Eu realmente lamento que Rebel tenha achado isso difícil. Essa nunca foi minha intenção. Mas vejo que ela lidou com tudo isso com uma graça extraordinária. Como um homem gay, estou bem ciente de como a discriminação dói profundamente. A última coisa que eu gostaria de fazer é infligir essa dor a outra pessoa”, escreveu.