Instagram/DC Comics

George Pérez (1954–2022)

George Pérez, um dos maiores artistas dos quadrinhos americanos, morreu na última sexta-feira (6/5), aos 67 anos. Ele enfrentava um câncer pancreático terminal e em dezembro revelou que poderia ter apenas mais seis meses de vida.

Pérez desenhou alguns dos principais clássicos da DC Comics, como o crossover “Crise nas Infinitas Terras” e a reformulação dos “Novos Titãs”, best-seller da editora, ambas parcerias com o roteirista Marv Wolfman. Os dois formaram uma das duplas mais famosas dos quadrinhos da década de 1980 e seu trabalho em “Crise nas Infinitas Terras”, publicado em 1985, acabou se provando um dos mais influentes de todos os tempos.

Depois de criar Ciborgue, Ravena, Estelar, Asa Noturna e inúmeros vilões e coadjuvantes nos Novos Titãs, Perez também marcou época em histórias de Mulher-Maravilha e Superman, tanto como artista quanto como roteirista.

Sua passagem pelas publicações do Homem de Aço foi responsável pela criação da armadura – agora tradicional – do vilão Lex Luthor. E seus cinco anos à frente de Mulher-Maravilha praticamente reinventaram a personagem, aproximando mais sua origem da mitologia grega. Não por acaso, Patti Jenkins, diretora de “Mulher-Maravilha”, creditou tanto o criador da personagem, William Moulton Marston, quanto Pérez como maiores influências na história do filme de 2017.

Ele também trabalhou na Marvel, onde desenhou o Surfista Prateado, inclusive num crossover com Superman, além do Quarteto Fantástico, Hulk, Shang-Chi, a minissérie “Desafio Infinito”, onde Thanos finalmente coleta as joias do infinito, e ficou três anos à frente da revista dos Vingadores, despedindo-se dos personagens num crossover histórico com a Liga da Justiça, da DC.

Publicado originalmente entre 2003 e 2004, o crossover foi recentemente relançado por Marvel e DC como homenagem ao artista e com as vendas revertidas para a Hero Initiative, uma organização que auxilia quadrinistas a custear tratamentos de saúde – e que tem entre seus fundadores justamente George Pérez.

A última criação de Pérez foi “Sirens”, uma publicação independente da editora BOOM! Studios, lançada em 2014.

Mas suas obras continuam inspirando novas gerações, em adaptações como a série animada dos “Jovens Titãs” e produções live-action recentes. “Crise nas Infinitas Terras” foi o último crossover do “Arrowverso” e a série “Titãs” teve sua 1ª temporada totalmente inspirada nos quadrinhos do artista, sem esquecer do blockbuster “Vingadores: Guerra Infinita”, baseado em sua minissérie de 1991.

Nos meses finais, Pérez se programou para se despedir pessoalmente dos fãs, participando de uma turnê de convenções para autógrafos e encontros com o público, para, segundo ele, abraçar cada umas pessoas que apreciaram seu trabalho. “Eu só quero ser capaz de dizer adeus com sorrisos e também com lágrimas”, disse o quadrinista.

“George Pérez fez tudo parecer fácil. Suas contribuições foram fundamentais para impulsionar e reinventar a longa e rica história da DC. As histórias de George eram uma alegria de ler, e seu trabalho repercutiu em todos que ele conheceu. Ele fará falta para aqueles aqui na DC e fãs em todo o mundo”, publicou a DC Comics em suas redes sociais.

“George Pérez era um artista, um escritor, um modelo e um amigo. Seu trabalho abriu histórias seminais nos quadrinhos, e seu legado de bondade e generosidade nunca será esquecido. Nossa família na Marvel lamenta sua perda hoje, e nossos corações estão com sua família e entes queridos”, acrescentou a Marvel.