Instagram/Pabllo Vittar

Imprensa americana elogia Pabllo Vittar “estelar” em Coachella

Depois de Anitta, foi a vez de Pabllo Vittar brilhar no Festival de Coachella. Mesmo no palco Gobi, um espaço bem menor – Anitta cantou no palco principal – , recebeu elogios entusiasmados da imprensa americana, que destacou o feito histórico proclamado pela cantora ao iniciar sua apresentação.

“Meu nome é Pabllo e sou uma drag queen do Brasil – a primeira drag queen a se apresentar no Coachella”, disse a brasileira, declaração repercutida pela mídia americana, como o site PopCrave, que destacou fotos da apresentação no Twitter, e as revistas Billboard e Fader.

Descrevendo a apresentação como um “set de alta energia e feroz”, a Billboard afirmou que Pabllo eletrizou o público, “que nem uma vez parou de dançar ao som de seu techno trilíngue e hinos de música pop”. E ainda destacou a emoção transmitida pela performance. “Ao se despedir, Pabllo não conseguiu deixar de chorar”.

A revista Fader ecoou os elogios, mencionando o “set poderoso” e “uma performance eletrizante”.

Mas foi a resenha da revista Rolling Stone (a original) que chamou mais atenção pela conclusão entusiasmada. Após definir o show como “estelar”, o texto afirmou ser “um mistério por que a artista brasileira ainda não se tornou uma estrela pop internacional”.

Pabllo Vittar já tinha se apresentado no festival americano em 2019, quando cantou uma música com Major Lazer e outra com Sofi Tukker, mas foi a primeira vez que fez um show solo no evento. E contou até com uma convidada, a nipo-britânica Rina Sawayama, sua parceira em “Follow Me”.

Ao se entregar à emoção, ainda se declarou para outra parceira antiga, que arrasou no primeiro dia do evento, “Eu te amo, Anitta”, gritou, antes de cantar “Sua Cara”.

Ela terminou a apresentação chorando no chão do Gobi.

A performance foi transmitida ao vivo pelo canal do YouTube do festival e atraiu mais audiência que as atrações exibidas simultaneamente em dois outros palcos – inclusive no palco principal.