Divulgação/Universal Pictures

Confira as estreias de cinema da semana

Os cinemas recebem sete lançamentos nesta quinta (28/4), mas a maioria visa o circuito limitado das “salas de arte”.

O filme com maior distribuição é uma animação japonesa para público bastante específico, enquanto as alternativas mais populares incluem um novo longa derivado da série “Downton Abbey” e uma comédia romântica brasileira.

Vale destacar que a programação também recebe filmes premiados e com até 100% de aprovação do site Rotten Tomatoes (que contabiliza as críticas da imprensa em inglês), disponibilizados num número bastante reduzido de salas (num punhado de capitais).

Confira abaixo as sete estreias da semana com seus respectivos trailers.

 

DOWNTON ABBEY – UMA NOVA ERA

O segundo filme baseado na série britânica volta a trazer a maioria do elenco original numa trama que é literalmente cinematográfica, ao mostrar a produção de um filme na propriedade da família Crawley. Em sua volta às telas, os personagens também embarcam numa viagem de veraneio, após a Condessa de Grantham (Maggie Smith) herdar uma villa na Riviera Francesa – e deixar todos curiosos para descobrir o mistério por trás dessa herança. E além da paisagem esplendorosa do litoral francês, ainda há um casamento.

O roteiro é de Julian Fellowes, que conduziu a série de época entre 2010 e 2015, e a direção está a cargo do cineasta Simon Curtis (“Sete Dias com Marilyn”).

 

JUJUTSU KAISEN 0

Originalmente um mangá criado por Gege Akutami em 2018 e transformado em série anime há menos de dois anos, “Jujutsu Kaisen” pode ser considerado um fenômeno. Sua popularidade é tanta que já ganhou versões romanceadas, um spin-off em quadrinhos, games, podcast e até uma série de reação aos episódios do desenho. Agora chega a seu primeiro filme.

A trama do longa-metragem é um prólogo inspirado por um mangá homônimo (o spin-off criado por Akutami há 16 meses) e se foca em Yuta Okkotsu, personagem apenas mencionado no anime original. Ele é um jovem amaldiçoado por uma amiga de infância morta, que entra na escola de um xamã para aprender a controlar a maldição e transformá-la em poder.

 

INCOMPATÍVEL

A comédia de Johnny Araujo (“Legalize Já: Amizade Nunca Morre”) segue a conhecida linha dos romances que começam como guerra de sexos.

A produção nacional traz Gabriel Louchard (“Teocracia em Vertigem”) como um homem prestes a se casar com a garota dos seus sonhos, quando vê seu relacionamento acabar por causa de um teste de compatibilidade proposto por uma famosa influencer (Nathalia Dill, de “Talvez uma História de Amor”). Enfurecido, ele assume o pseudônimo de “Incompatível” para travar uma guerra com a Youtuber com o objetivo de se vingar. Só que quando seu plano começa a dar certo, ele percebe que a rival não é tão ruim assim. De fato, pode até ser, quem sabe, apaixonante.

 

PARIS, 13º DISTRITO

Filmado em preto e branco pelo premiado Jacques Audiard (Palma de Ouro em Cannes por “Dheepan: O Refúgio”), o drama passado no bairro parisiense de Les Olympiades (a maior “Chinatown” da Europa) é uma história de encontros românticos. Emilie (Lucie Zhang) encontra Camille (Makita Samba), que se sente atraído por Nora (Noémie Merlant, de “Retrato de uma Jovem em Chamas”), que acaba cruzando com Amber (Jehnny Beth, de “Um Amor Impossível”). Três garotas e um garoto do novo milênio, que são amigos e às vezes amantes, e frequentemente as duas coisas.

Os dois atores iniciantes do elenco, Zhang e Samba, foram indicados ao César (o Oscar francês) como Revelações do ano, e a trilha sonora do músico eletrônico Rone foi premiada no Festival de Cannes.

 

UM CONTO DE AMOR E DESEJO

Versos eróticos da antiga poesia árabe arrebatam um jovem dolorosamente reprimido no drama de amadurecimento da diretora tunisiana Leyla Bouzid (“Assim Que Abro Meus Olhos”), com 100% de aprovação no Rotten Tomatoes.

Na trama, o personagem de Sami Outalbali (“Sex Education”), um francês de origem argelina criado nos subúrbios parisienses, compartilha aulas de literatura com uma jovem tunisiana (a estreante Zbeida Belhajamor) cheia de energia que acaba de chegar de Túnis. Surpreso com o ensino de poesia sensual árabe na faculdade, ele encontra dificuldades para superar sua barreiras enquanto lida com o fato de estar cada vez mais apaixonado pela colega desinibida.

 

COMO MATAR A BESTA

O horror gótico da América do Sul, com 100% de aprovação no Rotten Tomatoes, passa-se na fronteira entre Argentina e Brasil, e acompanha a busca de uma jovem (a estreante Tamara Rocca) pelo irmão desaparecido. Ela se hospeda na casa de sua estranha Tia Inés (Ana Brun, de “As Herdeiras”), próxima da floresta onde, de acordo com rumores, uma perigosa besta surgiu uma semana antes – que dizem ser o espírito de um homem mau capaz de tomar a forma de diferentes animais.

Longa de estreia da argentina Agustina San Martín, o filme foi bastante elogiado pela narrativa atmosférica e o simbolismo presente em sua história, que vagueia entre ideias abstratas de medo e empoderamento feminino.

 

A CRIANÇA DO DIABO

Outro terror sul-americano. A principal diferença é que aqui o ritmo lento está mais para característica de filme trash que de cinema de arte. Uma jovem enfermeira americana é assombrada por um trauma de infância ao ir trabalhar em uma casa remota para cuidar de um velho. Quando coisas sinistras e estranhas começam a acontecer, ela decide querer saber mais sobre a família que a contratou.

O colombiano David Bohorquez já fez os terrores “Demental” (2014) e “Caliban” (2019), mas é mais conhecido como diretor de clipes de música pop latina (Maite Perroni, Sebastián Yatra, etc).