Divulgação/Apple TV+

Saiba porque “Ataque dos Cães” e “No Ritmo do Coração” são favoritos ao Oscar 2022

Há poucas horas do começo da premiação, o Oscar 2022 apresenta dois claros favoritos ao prêmio principal de Melhor Filme do ano: “Ataque dos Cães” e “No Ritmo do Coração”.

A inclinação por “Ataque dos Cães” é natural, considerando que se trata do filme com o maior número de indicações, concorrendo a 12 prêmios. O filme também garantiu um momento histórico para Jane Campion. A cineasta neozelandeza se tornou a primeira mulher a disputar duas vezes o Oscar de Melhor Direção, após ter sido indicada pela primeira vez em 1994, com “O Piano”. Ela ainda concorre na categoria de Melhor Roteiro Adaptado.

Além disso, “Ataque dos Cães” é o filme com mais atores na 94ª edição do Oscar. Benedict Cumberbatch foi indicado a Melhor Ator, Kirsten Dunst a Atriz Coadjuvante e Jesse Plemons e Kodi Smit-McPhee entraram juntos na categoria de Ator Coadjuvante.

Trata-se de um domínio evidente e bastante distante da quantidade de prêmios a que concorre “No Ritmo do Coração”. O filme de Sian Heder está indicado em apenas três categorias. Só que é franco favorito em todas.

Troy Kotsur venceu todos os prêmios possíveis como Melhor Ator Coadjuvante e deve realizar um dos muitos feitos desta noite, tornando-se o primeiro ator surdo reconhecido com o Oscar – 35 anos após sua colega de elenco, Marlee Matlin, se consagrar como primeira atriz surda a vencer como Melhor Atriz por “Filhos do Silêncio”.

Sian Heder disputa diretamente com Jane Campion a categoria de Melhor Roteiro Adaptado, e já venceu duas vezes: no BAFTA (o Oscar britânico), em confronto direto, e no WGA Awards (prêmio do Sindicato dos Roteiristas), que nem considerou o trabalho da neozelandesa.

Já a disputa de Melhor Filme está aberta, graças aos reconhecimentos que cada obra conquistou antes desta noite.

“Ataque dos Cães” começou sua trajetória premiada com o troféu de Melhor Direção no Festival de Veneza, em setembro passado. Também venceu o Festival de San Sebastián, o Globo de Ouro, o Critics Choice e o BAFTA.

Mas “No Ritmo do Coração” teve uma jornada mais longa, vencendo os prêmios do Júri e do Público do Festival de Sundance em janeiro de 2021. Desde então, veio acumulando prêmios de atuação e roteiro. Até que, há uma semana, surpreendeu prognósticos e ganhou o PGA Awards (do Sindicato dos Produtores), superando “Ataque aos Cães”.

Considerado o maior termômetro do Oscar, nos últimos 10 anos o PGA Awards só não adiantou o vencedor da Academia duas vezes: ao premiar “La La Land” (2016) e “1917” (2019), que perderam respectivamente para “Moonlight” e “Parasita”.

Se este for mesmo o confronto final desta noite, qualquer dois dois que vença mandará uma mensagem clara para a indústria: os melhores filmes não estão mais no cinema, mas no streaming.

“Ataque dos Cães” foi uma produção da Netflix e “No Ritmo do Coração”, realizado de forma independente, foi adquirido e exibido com exclusividade pela Apple TV+ nos EUA.

Não é um detalhe pequeno.