Unsplash/David Balev

Netflix testa cobrar por contas compartilhadas em diferentes endereços

A Netflix vai começar a testar uma nova forma de evitar o compartilhamento ilícito de assinaturas. Por enquanto, o teste será aplicado em três mercados da América Latina: Peru, Costa Rica e Chile.

Visando restringir o compartilhamento de perfis entre indivíduos que moram em casas diferentes – uma prática comum, mas realizada de maneira teoricamente ilegal, segundo os Termos de Serviço da plataforma – , a Netflix vai passar a cobrar uma taxa para “adicionar um membro extra” fora do endereço da conta.

A novidade vai aparecer na hora de criar e gerenciar perfis, quando será oferecida a possibilidade de dar acesso à conta para um indivíduo de fora da moradia principal.
A opção vai custar US$ 3,99 na Costa Rica, 7,9 Soles no Peru, e 2380 pesos chilenos.

Chengyi Long, diretora de inovação da Netflix, escreveu no blog oficial da plataforma que a nova ferramenta pode ou não ser expandida para outros mercados após o teste nesses três territórios.

“Vamos tentar entender o quanto os nossos assinantes acharam essa funcionalidade útil nesses países”, explicou. “Sempre quisemos facilitar o compartilhamento da conta da Netflix entre pessoas que moram juntas, e por isso desenvolvemos opções como a criação de perfis diferentes e a possibilidade de streaming em várias telas simultâneas.”

“Embora essas opções sejam enormemente populares, elas também criaram algumas confusões sobre quando e como a sua conta da Netflix pode ser compartilhada”, acrescentou Long.