Divulgação/Hulu

As 10 melhores estreias de séries da semana

 

PAM & TOMMY | STAR+

A minissérie lembra o vazamento da sex tape mais famosa de todos os tempos, gravada na lua de mel da estrela da série “SOS Malibu” (Baywatch) e do baterista da banda Mötley Crüe, trazendo Lily James (“Rebecca”) e Sebastian Stan (“Falcão e o Soldado Invernal”) nos papéis de Pamela Anderson e Tommy Lee.

Para quem é muito jovem para lembrar, Anderson foi indiscutivelmente o maior ícone sexual da década de 1990 – ela detém o recorde de capas da revista Playboy – e Lee integrava a banda mais escandalosa de sua geração. O relacionamento dos dois, que se casaram uma semana após se conhecerem, vendeu mais tabloides que qualquer outro casal nos anos 1990. E muitos fãs puderam conferir em detalhes como foi sua lua de mel.

A minissérie é produzida pela dupla Seth Rogen e Evan Goldberg (produtores de “Preacher” e “The Boys”). E além de trabalhar atrás das câmeras, Rogen ainda interpreta o homem que roubou a fita infame. Os três primeiros episódios já estão disponíveis, com os demais (de um total de oito) liberados semanalmente às quartas.

 

MY BRILLIANT FRIEND | HBO MAX

A produção italiana baseada na saga literária “A Amiga Genial” de Elena Ferrante chega à 3ª temporada no domingo (6/2), com a adaptação de “História de Quem Foge e Quem Fica”, o terceiro dos quatro livros sobre as amigas de longa data Lenù (Margherita Mazzucco) e Lila (Gaia Girace).

Numa sequência angustiante e sem espaço para a inocência de outrora, a trama contrapõe as amigas em várias questões, como amor, maternidade, busca por justiça social e principalmente como é transgressor ser mulher em um mundo comandado pelos homens.

Os novos episódios tem direção de Daniele Luchetti (“Meu Irmão é Filho Único”), que assume a série após duas temporadas conduzidas pelo cineasta Saverio Costanzo (“A Solidão dos Números Primos”).

 

RAISED BY WOLVES | HBO MAX

A série sci-fi produzida por Ridley Scott (“Casa Gucci”) retorna com mais mistérios, ao apresentar o lado paradisíaco do planeta desconhecido em que os últimos sobreviventes da Terra foram parar. O visual é deslumbrante, mas o ritmo desacelera dramaticamente, como demonstram os dois primeiros episódios disponibilizados na quinta (3/2).

Criada por Aaron Guzikowski (roteirista de “Os Suspeitos”), a 1ª temporada tornou-se cultuada por fãs de sci-fi por sua história bastante original, sobre um casal de androides que cria crianças em um planeta deserto, ensinando-lhes valores humanistas e ateístas após a destruição da Terra numa guerra religiosa apocalíptica. No entanto, integrantes da facção religiosa fundamentalista também sobreviveram e chegam ao planeta para estabelecer uma colônia, iniciando uma batalha pela libertação das crianças dos androides.

Os novos capítulos oferecem uma inversão narrativa, com as crianças e os androides encontram uma colônia de sobreviventes ateístas.

Gravados em cenários naturais da África do Sul, os episódios iniciais de “Raised by Wolves” contaram com direção do próprio Ridley Scott, em sua estreia em séries, além de seu filho Luke Scott (“Morgan: A Evolução”) e do brasileiro Alex Gabassi (“The ABC Murders”), entre outros. Já os primeiros dois capítulos da 2ª temporada são assinados por Ernest R. Dickerson (“Os Demônios da Noite”).

O elenco destaca a dinamarquesa Amanda Collin (“Guerreiro da Escuridão”) em sua estreia em inglês, como a Mãe androide superpoderosa, o inglês Abubakar Salim (“Jamestown”) como o Pai, e Travis Fimmel (“Vikings”) como um integrante da milícia religiosa que não é quem aparenta ser.

 

REACHER | AMAZON PRIME VIDEO

O personagem do escritor Lee Child, já vivido por Tom Cruise nos cinemas, é um ex-militar que está sempre se envolvendo em confusões e saindo delas na base da porrada. Suas aventuras viraram série numa adaptação de Nick Santora (criador de “Scorpion”), que leva às telas o primeiro livro, “Dinheiro Sujo” (The Killing Floor), publicado em 1997.

Vivido por Alan Ritchson (o herói Rapina de “Titãs”), Jack Reacher começa sua 1ª temporada chegando à pequena cidade de Margrave, na Geórgia, onde é imediatamente preso e implicado no primeiro homicídio local em 20 anos. O problema dessa acusação aleatória é que escolheram o desconhecido errado para incriminar.

Com produção do cineasta Christopher McQuarrie, que dirigiu os filmes de 2012 e 2016, a série também conta com participações de Willa Fitzgerald (“Pânico – A Série”/Scream), Malcolm Goodwin (“iZombie”), Kristin Kreuk (“Smallville”) e Bruce McGill (“Rizzoli & Isles”). E teve todos seus 8 episódios liberados nesta sexta (4/2).

 

SEARCH PARTY | HBO MAX

A série criada por Sarah-Violet Bliss, Charles Rogers e Michael Showalter gira em torno de um pequeno grupo de hipsters nova-iorquinos, que buscam estar sempre na moda, mas essa obsessão os arrasta a situações perigosas, tornando-os suspeitos e até vítimas de crimes. Lançada completinha nesta semana, a 5ª e última temporada apresenta a transformação da protagonista Dory numa guru espiritual, diante dos olhos incrédulos e cínicos de seus amigos.

O elenco é encabeçado por Alia Shawkat (“Arrested Development”), John Reynolds (“Stranger Things”), John Early (“O Artista do Desastre”), Meredith Hagner (série “Younger”) e Brandon Micheal Hall (“Deus Me Adicionou”), que na despedida da série contracenam com nada menos que Jeff Goldblum (“Thor: Ragnarok”), Kathy Griffin (“Suddenly Susan”) e John Waters (diretor de “Hairspray”).

 

POWER BOOK IV: FORCE | STARZPLAY

Com estreia no domingo (6/2), o terceiro spin-off de “Power” – atração criminal que durou seis temporadas e foi encerrada no auge de sua popularidade há um ano – é centrada num dos principais personagens da trama original: Tommy Egan. Joseph Sikora volta a encarnar o personagem, o ex-melhor amigo que vira inimigo de Ghost, revelando o que acontece após ele deixar Nova York e os eventos turbulentos do final da série para trás.

A produção é de Courtney Kemp, criadora de “Power”, e Curtis “50 Cent” Jackson, cuja popularidade como rapper viabilizou a série original e seus derivados. Já a função de showrunner está a cargo de Robert Munic, criador de “The Cleaner” e produtor-roteirista de “Empire”.

 

MURDERVILLE | NETFLIX

A nova comédia estrelada por Will Arnett (“Arrested Development”) é uma sátira de séries policiais baseada em improvisos. Na trama, Arnett vive um detetive policial que comanda a investigação de um assassinato diferente a cada episódio, sempre acompanhado por um convidado famoso, que atua sem roteiro e ideia do que vai acontecer, tendo que improvisar sua participação do início ao fim das gravações.

A produção é baseada num sucesso da TV britânica: “Murder in Successville”, da BBC 3.

Os seis episódios do remake americano têm participações de Annie Murphy (“Schitt’s Creek”), Ken Jeong (“Se Beber Não Case”), Kumail Nanjiani (“Eternos”), Marshawn Lynch (“Westworld”), Sharon Stone (“Instinto Selvagem”) e do apresentador Conan O’Brien.

 

CRIANDO DION | NETFLIX

A série de super-herói mirim criada por Carol Barbee (“UnReal”) e produzida pelo ator Michael B. Jordan (“Pantera Negra”) conta a história de uma viúva (vivida por Jazmyn Simon, de “Ballers”), que tenta criar seu filho Dion (Ja’Siah Young, de “A Noite é Delas”) após a morte do marido. O problema é que o menino começa a manifestar superpoderes, atraindo a atenção de pessoas interessadas em explorar suas habilidades.

Além de produzir, Michael B. Jordan também fez participação especial na 1ª temporada como Mark, o pai de Dion. Ele não deve aparecer mais na série, mas quem está de volta é Jason Ritter (“Kevin (Probably) Saves the World”) no papel de Pat, o melhor amigo de Mark, que numa reviravolta acabou virando o antagonista dos primeiros episódios.

A trama, porém, está bem diferente, com Pat querendo ajudar e Dion numa escola para super-heróis mirins, o que lhe permite formar uma equipe para enfrentar a ameaça da temporada.

 

DESEJO SOMBRIO | NETFLIX

O melodrama estrelado pela ex-RBD Maite Perroni chega a sua 2ª e última temporada após se tornar um grande sucesso de audiência. Ela vive Alma, uma mulher casada que se envolve com um desconhecido mais novo (Alejandro Speitzer, de “Rainha do Sul”). Mas o que deveria ser apenas uma aventura extraconjugal sem cobranças se complica quando o rapaz volta a aparecer em sua vida.

As situações, que envolvem um assassinato e revelações inesperadas sobre as verdadeiras intenções de Darío, o amante, deixam Alma sozinha ao final da temporada inaugural. Mas é só ela descobrir, meses depois, que Darío está de casamento marcado para a antiga obsessão retornar. E as reviravoltas se tornarem cada vez menos críveis.

A série foi criada por Leticia López Margalli, roteirista de novelas mexicanas e da comédia blockbuster “Não Aceitamos Devoluções” (2013) – que chegou a ganhar remake brasileiro com Leandro Hassum (“Não se Aceitam Devoluções”).

 

SUSPICION | APPLE TV+

O suspense estrelada por grande elenco é um típico whodunit (quem matou) sem grandes surpresas ou profundidade. A trama gira em torno do rapto do filho da personagem de Uma Thurman (“Kill Bill”), a CEO de um importante conglomerado – e detalhe importante: ela quase não aparece nos episódios, que destacam os suspeitos. A polícia de Nova York identifica cinco suspeitos, todos britânicos, que são detidos e interrogados, e logo percebem ter sido envolvidos numa grande conspiração, embarcando numa corrida contra o tempo para provar suas inocências.

Os personagens principais são interpretados por Elizabeth Henstridge (“Agents of SHIELD”), Kunal Nayyar (“The Big Bang Theory”), Georgina Campbell (“Krypton”), Tom Rhys Harries (“White Lines”) e Elyes Gabel (“Scorpion”), e o elenco ainda inclui Noah Emmerich (“The Americans”), Angel Coulby (“As Aventuras de Merlin”) e Gerran Howell (“Catch-22”).

Criação do roteirista Rob Williams (“Chaising Shadows”), “Suspicion” tem duração de oito episódios, com os dois primeiros disponibilizados nesta sexta.