Divulgação/Searchlight Pictures

“O Beco do Pesadelo” e “Spencer” chegam aos cinemas

A programação de cinema da semana está em sintonia com a temporada de premiações de Hollywood, trazendo filmes cotados ao Oscar: “O Beco do Pesadelo”, de Guillermo del Toro, que já venceu o troféu da Academia por “A Forma da Água”, “Spencer”, que destaca a performance de Kristen Stewart como a Princesa Diana, “Summer of Soul”, já qualificado entre os 15 filmes pré-selecionados na categoria de Melhor Documentário do Oscar 2022, e “A Felicidade das Pequenas Coisas”, que tenta o Oscar de Melhor Filme Internacional.

Ao todo, sete títulos novos chegam ao circuito nesta quinta (27/1), incluindo duas produções brasileiras com distribuição mais restrita.

Confira abaixo todas as novidades que entram em cartaz.

 

 

O BECO DO PESADELO

O novo espetáculo repleto de estrelas de Guillermo Del Toro (vencedor do Oscar por “A Forma da Água”) tem clima de terror, mas é o primeiro trabalho da carreira do cineasta que deixa de lado elementos sobrenaturais para focar apenas no pior da raça humana. A história é uma adaptação do livro homônimo de William Lindsey Graham, publicado em 1946 e que já foi transformado num clássico do cinema noir, batizado no Brasil como “O Beco das Almas Perdidas” (1947).

A trama gira em torno de um vigarista (Bradley Cooper) que entra num circo, aprende os truques de uma suposta vidente (Toni Colette) e resolve aplicar golpes como um falso médium, com a ajuda de uma jovem assistente (Rooney Mara). Tudo muda quando ele conhece uma psicóloga pilantra (Cate Blanchett) que grava as confissões de seus pacientes. E aí percebe que pode tornar seu truque ainda mais convincente e extorquir uma clientela milionária com estas informações. O resultado é muito muito sombrio, mas aclamado com 80% de aprovação no Rotten Tomatoes.

 

 

SPENCER

Na terceira cinebiografia de sua carreira, Kristen Stewart dá vida à Princesa Diana, encenando o momento em que a jovem aristocrata decide, durante as férias de Natal com a família real, encerrar seu casamento e sair da monarquia. O título faz referência ao nome de solteira da mãe dos príncipes Harry e William.

“Spencer” tem direção do chileno Pablo Larrain, que já retratou a ex-primeira dama americana Jacqueline Kennedy em seu momento mais traumático, no filme “Jackie” (2016), e conta com roteiro de Steven Knight (criador de “Peaky Blinders”). Mas é Stewart que faz o filme ser tão elogiado pela crítica – 83% de aprovação no Rotten Tomatoes. O fato dela ter sido esnobada pelo Sindicato dos Atores dos EUA, que não a indicou em seu prêmio anual, foi tratado como escândalo pela imprensa americana.

 

 

SUMMER OF SOUL (… OU QUANDO A REVOLUÇÃO NÃO PODE SER TELEVISIONADA)

Vencedor do Festival de Sundance e do Critics Choice como Melhor Documentário do ano, o filme dirigido por Ahmir “Questlove” Thompson, baterista da banda de hip-hop The Roots, resgata a memória do festival de música e cultura do Harlem de 1969, que acabou esquecido, apesar de reunir grandes astros do soul, gospel, jazz e blues em Nova York, no mesmo verão e a apenas 100 milhas de distância do famoso festival de Woodstock.

Além de mostrar performances arrepiantes de Nina Simone, Stevie Wonder, Mahalia Jackson, os Staple Singers, BB King e Sly and the Family Stone, guardadas durante cerca de 50 anos numa garagem, o filme conta a história do evento, acrescentando depoimentos de artistas e testemunhas daquele verão em Nova York.

 

 

A FELICIDADE DAS PEQUENAS COISAS

Um jovem butanês, que sonha em se mudar para a Austrália e virar um cantor famoso, é enviado pelo governo para ser professor em Lunana, uma das regiões mais isoladas do mundo, onde deverá assumir uma escola infantil. Viajando a contragosto, ele logo descobre naquele lugar a felicidade das pequenas coisas, conforme a moral da história explicitada pelo título.

A moral da história também é uma forma de criticar o desejo ocidental da busca pela fama e realização pessoal, evocando a ideologia comunista chinesa, que desde a revolução cultural manda intelectuais para o campo para aprenderem “a felicidade das pequenas coisas”. O tema já tinha sido abordado no clássico “O Caminho para Casa” (1999), de Zhang Yimou. Mesmo assim, o longa de Pawo Choyning Dorji tem fãs entre os críticos americanos e pode surpreender com uma indicação ao Oscar de Melhor Filme Internacional

 

 

FORTALEZA HOTEL

Pilar, uma jovem empregada de hotel com planos de sair do Brasil, conhece Shin, um hóspede sul-coreana de meia-idade, que está no país para levar o corpo de seu falecido marido de volta à Seul. Quando os planos de ambas começam a dar errado, as duas mulheres acabam estabelecendo uma intensa relação de solidariedade.

Segundo longa de Armando Praça (“Greta”), o drama destaca em seu elenco Clebia Sousa (“Bacurau”), premiada como Melhor Atriz pelo desempenho no Festival Cine Ceará 2021, Vanderlei Bernardino (“Sintonia”), o Melhor Ator no mesmo evento, e a veterana sul-coreana Lee Yeong-ran (“A Irmandade da Guerra”).

 

 

PASSAGEM SECRETA

A aventura infantil de baixo orçamento gira em torno da menina novata na cidade, que se junta a um grupo de crianças para invadir um parque de diversões durante a noite e salvar um dos colegas, ao mesmo tempo que descobre segredos sobre sua identidade.

Dirigido por Rodrigo Grota (“Leste Oeste”), o filme traz diversas crianças estreantes e o cantor Arrigo Barnabé (“Cidade Oculta”) no papel de vilão.

 

 

BELLE

Versão futurista da fábula de “A Bela e a Fera”, “Belle” também é uma parábola crítica sobre as farsas da internet e o perigo das redes sociais. A trama gira em torno de uma cantora virtual chamada Belle, que tem sua turnê interrompida no metaverso pela viralização de uma criatura batizada pela mídia de a Fera. Nada, porém, é o que parece, já que o sucesso de Belle no “U”, universo de realidade virtual, esconde sua verdadeira identidade, uma adolescente “caipira” e pouco popular chamada Suzu, e a criatura misteriosa que surge em seu caminho não é realmente uma ameaça, mas uma vítima de bullying digital e cancelamento.

O anime tem direção de Mamoru Hosoda, responsável por “Mirai”, indicado ao Oscar de Melhor Animação em 2019, além de ter assinado cults como “Crianças Lobo” (2012), “Guerras de Verão” (2009) e “A Garota que Conquistou o Tempo” (2006).