Divulgação/CBS

Chris Noth recebe quarta acusação de agressão sexual

Uma quarta mulher acusou Chris Noth de agressão sexual. A cantora Lisa Gentile denunciou o abuso nesta quinta-feira (23/13), durante uma videoconferência coletiva, dizendo que o intérprete de Mr. Big em “Sex and the City” chegou a ameaçar “arruinar a sua carreira” se ela falasse sobre o caso, que teria acontecido em 2002.

Segundo Gentile, Noth insistiu em acompanhá-la até o apartamento dela em Nova York, após conversarem no restaurante que ambos costumavam frequentar. Mas ao chegar lá ele teria perdido a compostura, apalpando seus seios e a forçando a tocá-lo.

“Nessa altura ele ficou mais agressivo e colocou as duas mãos nos meus seios e começou a apertar com força por cima da minha camisa”, revelou. “Eu estava tentando fazê-lo parar, então ele forçou as minhas mãos a puxarem a camisa dele para cima, expondo sua barriga, e depois fez mais força para empurrar as minhas mãos em direção ao pénis dele”, acrescentou.

“Quando finalmente consegui afastá-lo e sair do alcance dele, gritei que não queria aquilo. Ele ficou extremamente furioso e começou a gritar, chamando-me de provocadora e vadia”, acrescentou a artista.

Ela ainda afirma que, no dia seguinte ao suposto incidente, Noth ligou para dizer que se ela “alguma vez contasse a alguém sobre o que aconteceu na noite anterior, que ele arruinaria minha carreira, eu nunca cantaria novamente e ele me colocaria na lista negra”.

A advogada de Gentile, Gloria Allred, disse que a sua cliente não podia registar uma queixa porque as alegações datam de “há quase vinte anos” e já prescreveram.

Allred disse esperar que uma lei, que vai ser considerada em janeiro em Nova York, abra uma janela para as vítimas de abuso sexual apresentarem queixas mesmo que o prazo de prescrição tenha expirado. Ela pediu para que, diante do caso atual, as atrizes de “Sex and the City” manifestem apoio para aprovar a lei.

Na semana passada, a revista The Hollywood Reporter publicou as primeiras alegações contra o ator, agora com 67 anos, com depoimentos de duas mulheres que teriam sido abusadas sexualmente em 2004 e 2015, em Los Angeles. Elas alegaram que a participação de Chris Noth em “And Just Like That”, revival de “Sex and the City” em que o ator retomou o papel de Big, fez despertar memórias dolorosas dos incidentes.

Um dia depois, uma terceira mulher disse ao The Daily Beast que Noth a havia agredido sexualmente na cidade de Nova York em 2010, quando ela tinha 18 anos.

Chris Noth negou as primeiras acusações, chamando os incidentes de “consensuais”. “As acusações feitas por pessoas que conheci anos, até décadas atrás são categoricamente falsas”, ele declarou em comunicado.

Além dos casos de agressão, a atriz Zoe Lister-Jones (“Life in Pieces”) resolveu compartilhar sua própria experiência com a má conduta sexual do colega durante o trabalho.

Diante da repercussão, ele foi dispensado pela agência de talentos que o representava e foi demitido da série criminal “The Equalizer”.

Como Mr. Big morreu nos episódios iniciais de “And Just Like That”, a HBO Max evitou maiores constrangimentos relacionados à presença do ator na atração.