Instagram/Ellie Kemper

Estrela de “Unbreakable Kimmy Schmidt” se desculpa por ser “rainha” de instituição racista

A atriz Ellie Kemper, conhecida pelas séries “The Office” e “Unbreakable Kimmy Schmidt” (na qual tinha o papel-título), se desculpou em seu Instagram nesta segunda (7/6), após seu nome bombar nas redes sociais pela descoberta de um feito de seu passado. Quanto tinha 19 anos, ela foi eleita rainha de uma instituição de passado racista.

A história tomou as redes sociais na última semana, quando uma foto da atriz como debutante foi publicada e fãs começaram a questionar se ela sabia que a Veiled Prophet Organization, responsável pelo baile, tinha um passado racista, sexista e elitista. Fundada em 1877 por homens brancos ricos, a instituição recusou-se a aceitar membros negros até 1979.

A atriz nasceu no ano seguinte, 1980. Por isso, disse que na época (em 1999) não sabia do passado da instituição tradicional da alta sociedade de sua cidade natal.

“Mas a ignorância não é uma desculpa. Eu tinha idade suficiente para me informar antes de me envolver. Sem dúvidas eu não concordo, denuncio e rejeito a supremacia branca. Ao mesmo tempo, sei que por causa da minha raça e dos meus privilégios, eu me beneficio de um sistema que distribui justiça e recompensas de formas desiguais”, ela escreveu.

Na internet, a história foi bastante aumentada e ganhou enorme repercussão, após alguém postar que o baile era um “evento chique organizado pela Ku Klux Klan (KKK) local”, criou-se a falsa narrativa de que a atriz tinha sido eleita a “Rainha da KKK” aos 19 anos.

O prêmio que Ellie Kemper recebeu em 1999 foi o de “Rainha do Amor e da Beleza”.

“Há uma tentação muito natural quando você vira assunto de críticas na Internet: dizer a si mesmo que seus detratores estão entendendo tudo errado. Mas, em algum momento da semana passada, percebi que muitas das forças por trás das críticas eram forças com as quais eu passei minha vida apoiando e concordando”, a atriz acrescentou. “Passei a minha vida inteira tentando viver de acordo com valores, e se a minha experiência servir de indicativo para que instituições com um passado que não atende a esses valores sejam confrontados, então eu tenho que ver essa experiência como algo positivo”.

“Quero me desculpar com as pessoas que desapontei, prometo que vou ouvir e continuar me educando, e usar meu privilégio a favor de uma sociedade melhor que sei que podemos nos tornar”, completou a atriz, agradecendo as pessoas que leram o comunicado. O post completo pode ser visto abaixo.