Divulgação/Netflix

Produtora ficou chocada com reação de fãs à saída de Regé-Jean Page de “Bridgerton”

A produtora do fenômeno “Bridgerton”, Shonda Rhimes, se disse “chocada” com a reação dos fãs à saída de Regé-Jean Page da série. Ele não vai voltar ao papel do encantador Duque de Hastings nas próximas temporadas.

“Fiquei realmente em choque, porque isso geralmente acontece quando eu mato um personagem. Tipo, a gente não o matou, ele ainda está vivo!”, disse Rhimes em entrevista à revista Vanity Fair, lembrando sua predileção por remover personagens de forma trágica – conforme visto em “Grey’s Anatomy”, “Scandal” e “How to Get Away with Murder”.

A dona da produtora Shondaland confirmou que o contrato de Regé-Jean Page sempre foi de apenas uma temporada, mas após o sucesso da série ela tentou convencê-lo a aparecer em alguns episódios da 2ª temporada. Entretanto, ele se negou.

Ela elogiou o ator e também a si mesma ao comentar a repercussão conquistada pelo Duque de Hastings na série.

“Ele é um ator poderoso e incrível, e isso significa que fizemos o nosso trabalho — em todas as temporadas, o nosso trabalho é encontrar as pessoas certas para montar esse romance maravilhoso e impactante”.

Para concluir, ela voltou a se dizer surpresa com a comoção dos fãs. “Não sei se eu esperava toda essa explosão, porque cada um dos livros foca em um romance diferente. Como seria o futuro desse casal? Sério: o que o Regé-Jean faria, sabe? Já demos o ‘felizes para sempre’ deles! E agora temos um novo casal chegando”.

Embora tenha criado “Grey’s Anatomy” e “Scandal”, Rhimes não assina a criação de “Bridgerton”. O desenvolvimento ficou a cargo do roteirista-produtor Chris Van Dusen, funcionário da Shondaland, que trabalhou nas séries anteriores da produtora.

Lançada no final de dezembro, “Bridgerton” se tornou a série mais bem-sucedida da Netflix. Segundo a plataforma, a atração foi vista por 82 milhões de assinantes em seu primeiro mês, tornando-se o maior hit da sua história. Com isso, teria superado o recorde anterior de 76 milhões de visualizações que pertencia a “The Witcher”.

A série é baseada na coleção literária “Os Bridgerton”, de Julia Quinn, que possuiu ao todo nove volumes, e foi renovada nesta terça-feira (13/4) até a 4ª temporada.

Os primeiros episódios levaram às telas “O Duque e Eu”, o primeiro livro, com foco em Daphne Bridgerton (Phoebe Dynevor), a filha mais velha da família, durante seu debut na alta sociedade, quando atrai a atenção de vários pretendentes e termina casada com Simon Basset (Regé-Jean Page), o Duque de Hastings.

Cada exemplar da obra original conta a história de amor de um dos oito irmãos da família Bridgerton e, no segundo volume, o solteiro mais cobiçado da temporada de bailes é Anthony Bridgerton (Jonathan Bailey), um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.

Simone Ashley (de “Sex Education”) já foi escalada como a improvável noiva na nova história romântica da produção.