Divulgação/Lucasfilm

Gina Carano era reincidente e descobriu sua demissão pelas redes sociais

A atriz e ex-lutadora de MMA Gina Carano revelou que descobriu sua demissão de “O Mandaloriano” (The Mandalorian) pelas redes sociais. Entretanto, seu desligamento da série aconteceu após receber uma advertência anterior da Lucasfilm. O motivo foi o mesmo que levou ao fim de sua participação na série: posts ofensivos no Twitter.

Em entrevista ao site de Bari Weiss (ex-redatora do New York Times), ela revelou que não recebeu nenhum aviso de sua demissão e que só soube que não voltaria na 3ª temporada da série pela repercussão da nota da Lucasfilm sobre seu afastamento, após o movimento #FireGinaCarano se tornar viral.

Mas ela admitiu que era reincidente. Já tinha sido procurada anteriormente pelo estúdio devido à postagens infelizes e não levou a sério.

O contato anterior foi por conta de uma mudança em seu perfil nas redes sociais que zombava de pronomes transgêneros. Carano disse que a Lucasfilm a pressionou a divulgar um pedido de desculpas escrito pela empresa sobre o assunto, mas ela se recusou.

“No início do ano passado, antes do lançamento [da 2º temporada] de ‘O Mandaloriano’, eles queriam que eu usasse suas palavras exatas para um pedido de desculpas sobre o uso de pronomes”, disse Carano. “Recusei e fiz uma declaração com as minhas próprias palavras. Eu deixei claro que não queria zombar da comunidade transgênero e estava apenas chamando a atenção para a multidão abusiva que forçava as pessoas a colocarem pronomes em suas biografias”.

De acordo com Carano, a reação da Lucasfilm por ela não ter usado seu pedido de desculpas foi exclui-la de toda a divulgação e promoção da 2ª temporada da série.

“Foi de partir o coração, mas não quis tirar o trabalho árduo de todos que trabalharam no projeto, então aceitei”, acrescentou Carano. “Essa foi a última vez que fui contatada sobre qualquer tipo de declaração pública ou pedido de desculpas da Lucasfilm. Depois descobri nas redes sociais, como todo mundo, que fui demitida”.

Lucasfilm anunciou a demissão de Carano chamando suas postagens nas redes sociais de “repugnantes e inaceitáveis”.

“Suas postagens nas redes sociais atacando pessoas com base em suas identidades culturais e religiosas são repugnantes e inaceitáveis”, disse o texto oficial do estúdio.

A gota d’água foi um post em que a ex-lutadora de MMA comparou os republicanos, como ela, aos judeus perseguidos na Alemanha nazista.

“Os judeus foram espancados nas ruas, não por soldados nazistas, mas por seus vizinhos … até por crianças. Como a história é editada, a maioria das pessoas hoje não percebe que, para chegar ao ponto em que os soldados nazistas puderam facilmente prender milhares de judeus, o governo primeiro fez com que seus próprios vizinhos os odiassem simplesmente por serem judeus. Como isso é diferente de odiar alguém por suas opiniões políticas?”, ela escreveu, acrescentando uma foto do Holocausto.

Em outra postagem em seu Stories, Carano publicou uma foto de uma pessoa com várias máscaras de pano cobrindo todo o rosto e a cabeça, de forma irônica. A legenda dizia: “Enquanto isso na Califórnia”…

Após sua demissão, o site The Hollywood Reporter noticiou que a Lucasfilm havia cancelado planos de anunciar Carano como a estrela de uma série derivada de “O Mandaloriano” (provavelmente “Rangers of the New Republic”).

Com a galáxia de “Star Wars” ficou definitivamente distante para ela, Carano agora vai estrelar e produzir um filme para o site de extrema direita The Daily Wire. Em declaração inicial sobre o projeto, ela disse: “Estou enviando uma mensagem direta de esperança a todos que vivem com medo do cancelamento pela multidão totalitária. Estou apenas começando a usar minha voz, que agora está mais livre do que nunca, e espero que inspire outros a fazer o mesmo. Eles não podem nos cancelar se não permitirmos.”