blank Divulgação/Lucasfilm

Demitida de O Mandaloriano, Gina Carano fará filme com site de extrema direita

Após ser demitida de “O Mandaloriano” (The Mandalorian) por minimizar o Holocausto, desdenhar do uso de máscaras contra covid-19 e outros posts polêmicos nas redes sociais, a atriz Gina Carano disse que está feliz da vida, porque finalmente está “livre” e assim poderá demonstrar o que realmente pensa.

A propósito disso, ela anunciou uma parceria com o site de extrema direita americano The Daily Wire, considerado um dos líderes de difusão de fake news nos EUA (segundo o NewsGuard), para realizar um longa-metragem.

“O Daily Wire está ajudando a realizar um dos meus sonhos – desenvolver e produzir meu próprio filme”, ela compartilhou em seu Instagram. “Eu rezei e minha prece foi atendida”.

Ela explicou que, com o filme, pretende enviar “uma mensagem direta de esperança a todos que vivem com medo do cancelamento pela multidão totalitária. Estou só começando a usar minha voz, que agora está mais livre do que nunca, e espero que inspire outros a fazer o mesmo. Eles não podem nos cancelar se não permitirmos”.

O longa será lançado apenas para os assinantes do The Daily Wire, como uma tentativa de alavancar o segmento de entretenimento da empresa. Ainda não há previsão de lançamento ou detalhes da trama.

Fundado em 2015, o Daily Wire foi criado pelo comentarista político Ben Shapiro, que defende posições extremamente controvertidas, como considerar homossexualidade doença e pecado, e afirmar que a maioria dos muçulmanos do mundo é terrorista – seus tuítes controvertidos sobre esse assunto teriam radicalizado um terrorista branco e protestante que interagiu 98 vezes com as redes sociais de Shapiro antes de matar seis muçulmanos e ferir outros enquanto rezavam numa mesquita em 2018.

Ao celebrar o acordo com Gina Carana, o Daily Wire atacou a Disney e especialmente Pedro Pascal, ex-colega da atriz em “O Mandaloriano”, por aparentemente ser um democrata – é também um “imigrante” que tem uma irmã transexual.