Unsplash/Sayan Ghosh

Netflix supera 200 milhões de assinantes em meio à pandemia

A Netflix superou as expectativas do mercado ao atingir mais de 200 milhões de assinantes em meio à pandemia. O número foi alcançado com a conquista de 8,5 milhões de assinaturas durante o quarto trimestre de 2020.

O crescimento aconteceu num período de acirramento da competição, durante a expansão internacional da Disney+ (Disney Plus) e da chegada da HBO Max e da Peacock ao público consumidor dos EUA, o que demonstra que a plataforma pioneira não se enfraqueceu com a chegada dos rivais, terminando o ano com quase 204 milhões de assinantes globais.

A conclusão dos analistas é que a pandemia se provou uma força mais poderosa do que a ameaça dos novos serviços. As quarentenas em todo o mundo ajudaram a aumentar significativamente as inscrições de streaming e a Netflix se beneficiou do boom geral da indústria, adicionando mais de 36 milhões de assinantes durante todo o ano passado.

Embora a maioria dos novos assinantes tenha vindo durante o primeiro semestre de 2020, os investidores de Wall Street esperavam que a Netflix conquistasse mais 6 milhões no trimestre final, mas foram surpreendidos com a adição de 8,5 milhões.

A plataforma geralmente tem um bom desempenho durante os últimos três meses do ano, quando lança sua programação mais esperada. O trimestre mais recente não foi exceção, graças à 4ª temporada de “The Crown” e ao sucesso de novas produções, como “O Gambito da Rainha” e “Bridgerton”. A Netflix disse que as duas últimas séries entraram na lista dos títulos mais assistidos de sua história.

Apesar do desempenho impressionante, a empresa está se aproximando do ponto de saturação. A oferta de assinaturas praticamente esgotou seu mercado potencial nos Estados Unidos, onde a plataforma recentemente aumentou seus preços. Por conta disso, sua estratégia passou a privilegiar mercados onde seu serviço não está tão consolidado.

Ao apresentar seus resultados trimestrais, a empresa revelou que 83% de seus novos assinantes de 2020 vieram de fora dos EUA e Canadá. Durante o quarto trimestre, a maior quantidade de assinantes novos veio da Europa, Oriente Médio e África. Já o público da América do Norte cresceu em apenas 860 mil durante esse período.

O sucesso internacional permitirá à Netflix passar 2021 sem pedir financiamento bancário pela primeira vez para suas operações do dia-a-dia. Além disso, a empresa afirmou esperar ter fluxo de caixa positivo em 2021, após anos operando no vermelho – isto é, gastando mais para produzir conteúdo do que a receita vinda de suas assinaturas.

A notícia ajudou a impulsionar as ações da Netflix, que fecharam nesta terça-feira (19/1) com alta de mais de 10% após o expediente na Nasdaq.

A Netflix obteve receita de US$ 6,6 bilhões durante o trimestre, em linha com as previsões dos analistas, e relatou lucros de US$ 1,19 por ação.