Divulgação/Warner

Ciborgue não vai mais aparecer no filme do Flash

Com a recusa explícita de Ray Fisher de participar de novos filmes da DC Films enquanto Walter Hamada permanecer presidente desta divisão cinematográfica da Warner, a participação de Ciborgue, herói interpretado pelo ator em “Liga da Justiça”, foi cortada do vindouro filme “The Flash”. Hamada acaba de ser reconduzido ao cargo, com contrato renovado até 2023.

Boatos nas redes sociais chegaram a apontar que Fisher seria substituído. Isto seria uma bomba, após o ator denunciar abusos e racismo nas refilmagens de “Liga da Justiça”, comandada por Joss Whedon. Hamada entrou na lista negra de Fisher, junto com outros produtores da Warner, por supostamente ser conivente com a situação. As denúncias de Fisher, feitas pelas redes sociais, levaram a Warner a realizar uma investigação independente e Hamada foi mantido à frente da empresa após as conclusões oficiais.

Antes de iniciar sua cruzada, Fisher foi convidado a participar do filme solo do Flash, mas as negociações não evoluíram por Fisher supostamente querer maior participação na trama.

Em 30 de dezembro, o ator enterrou de vez a possibilidade, ao atacar o presidente da DC Films. “Walter Hamada é o tipo mais perigoso de facilitador. Suas mentiras, e o contato de 4 de setembro da assessoria de imprensa da Warner Bros, buscavam prejudicar as questões reais por trás da investigação sobre ‘Liga da Justiça’. Não participarei de qualquer produção associada a ele”.

Com isso, Ciborgue não vai aparecer no filme estrelado por Ezra Miller (o Flash da “Liga da Justiça”), que deve contar com vários outros heróis da DC Comics.

“The Flash” tem direção de Andy Muschietti (“It – A Coisa”), que já assumiu que pretende explorar bastante o multiverso da DC na produção. A estreia está marcada para novembro de 2022.