Daniel Radcliffe briga com J.K. Rowling por comentário transfóbico

A escritora J.K. Rowling, criadora de “Harry Potter”, causou repúdio na comunidade LGBTQ+ após comentários considerados transfóbicos no Twitter, no momento em que protestos contra a discriminação acontecem em todo o mundo. E agora o próprio Harry Potter, ou melhor, Daniel Radcliffe, intérprete do personagem no cinema, manifestou-se contra ela.

As mensagens da autora foram reação a um artigo no site de desenvolvimento global Devex. Ela ficou ressentida com o título “Criando um mundo mais igualitário pós-Covid-19 para pessoas que menstruam”. “‘Pessoas que menstruam’. Tenho certeza de que costumava haver uma palavra para essas pessoas. Alguém me ajude? Wumben? Wimpund? Woomud? [modificações propositais da palavra ‘woman’, que significa mulher em inglês]”, escreveu Rowling na noite de sábado (6/5).

Críticos apontaram que as visões de Rowling igualavam feminilidade à menstruação – sendo que há muitos homens transsexuais que menstruam.

“Mulheres transgêneros são mulheres”, escreveu Radcliffe em um ensaio publicado no site do Trevor Project, uma organização sem fins lucrativos dedicada à intervenção em crises e prevenção de suicídio para pessoas LGBTQ+. “Qualquer declaração em contrário apaga a identidade e a dignidade das pessoas trans e vai contra todos os conselhos dados por associações profissionais de saúde que têm muito mais conhecimento sobre esse assunto do que Jo ou eu.”

Ele comentou que, embora a mídia possa transformar sua afirmação numa “briga entre JK Rowling e eu”, “como alguém que foi homenageado por trabalhar com e continua contribuindo para o Projeto Trevor na última década, e, como ser humano, sinto-me compelido a dizer algo neste momento”.

O ator de 30 anos citou que 78% dos jovens trans e não-binários relataram ter sido discriminados devido à sua identidade de gênero.

“Está claro que precisamos fazer mais para apoiar pessoas trans e não-binárias, não invalidar suas identidades e não causar mais danos”, conclui Radcliffe.

Não é a primeira vez que Rowling é acusada de transfobia. Em dezembro, ela defendeu uma mulher que foi demitida por tuitar que as pessoas não podiam alterar seu sexo biológico, posicionando-se
contra uma legislação que permitiria que as pessoas trans pudessem assumir suas identidades sociais.

Diante da segunda polêmica consecutiva, fãs de Harry Potter também reviveram um antigo debate sobre a representação LGBTQ+ e de minoria étnicas nos livros da autora, lembrando que a personagem Cho Chang é a única personagem não branca na saga literária.

Katie Leung, que interpretou Cho Chang nos filmes, também acabou se pronunciando sobre o assunto. Sem citar o nome da escritora, a atriz escreveu: “Então vocês querem as minhas opiniões sobre a Cho Chang? Ok, aí vai” e anexou vários links de petições e doações para projetos de ajuda a transexuais negras.