Ex-ator mirim surtado diz que Will Smith o estuprou na infância

O ex-ator mirim Orlando Brown, que vem gravando vídeos surtados nas redes sociais, causou polêmica em seu mais recente pronunciamento. Em vídeo de 5 minutos, o ex-intérprete de Eddie em “As Visões da Raven”, antiga série do Disney Channel, contou que foi estuprado por Will Smith quando ainda era criança, mostrou uma faca, dizendo que gostaria de matá-lo, e concluiu afirmando ser filho de Michael Jackson.

Segundo Brown, o próprio Michael Jackson teria orquestrado toda a violência que sofreu. Mesmo assim, o autor do ataque foi Will Smith, a quem deseja matar toda vez que o vê na TV.

“Você me estuprou quando eu era criança e ainda tenta sair livre disso! Como assim? Eu estou sentado bem aqui, toda vez que te vejo eu quero cortar o seu pescoço!”, disse no vídeo, gritando e bastante agitado.

Brown tem um passado repleto de polêmicas. Ele já foi preso por violência doméstica, posse de drogas e por dirigir embriagado com sua namorada grávida no banco do passageiro, quando estava de posse de drogas ilícitas.

A situação foi se agravando, até que, em agosto de 2014, ele invadiu o apartamento de uma mulher, ameaçando matá-la e ao filho dela. Voltou a ser preso ao agredir uma namorada na rua e resistir a um policial em 2016, que encontrou drogas em suas roupas. A lista de problemas também inclui um chamado de violência doméstica em sua casa em 2018.

Foragido da justiça, foi parar num hotel conhecido por ser ponto de viciados e foi novamente detido ao tentar trocar fechaduras do restaurante de um amigo de infância, sem a permissão dele, em Los Angeles.

Solto sob custódia, ele fez sua última aparição pública numa entrevista sobre seu caso no programa televisivo do psicólogo Dr. Phil McGraw, na qual apareceu com lentes de olhos de serpente, em dezembro de 2018.

O delírio sobre ser filho de Michael Jackson convenceu a justiça que era caso de internamento, após tentar buscar parte da herança do cantor, falecido em 2009.

Com a pandemia do novo coronavírus, muitos presos e internados foram liberados para ficar em isolamento social em suas casas.