blank

Chris Evans cobra responsabilidade de Trump diante do coronavírus

O ator Chris Evans, intérprete do Capitão América nos filmes da Marvel, cobrou liderança e responsabilidade de Donald Trump publicamente no Twitter, após o presidente dos Estados Unidos dizer no domingo (15/3) que a população deveria “relaxar” sobre o coronavírus e que todos vão “ficar ótimos”.

“O presidente simplesmente saiu do palco depois do seu pronunciamento desconexo sem responder a uma pergunta sequer. Os Estados Unidos querem uma resposta. Os Estados Unidos querem liderança. Os Estados Unidos não querem um presidente que foge do palco durante uma crise e deixa Mike Pence [vice-presidente do país] falar sozinho”, disparou Evans, que sempre foi crítico do governo Trump.

Enquanto profissionais da saúde têm afirmado que pessoas de todas as idades deveriam tomar medidas de isolamento, Trump disse em seu pronunciamento que o covid-19 é uma ameaça “extremamente perigosa” para idosos e pessoas vulneráveis, enfatizando que os americanos mais jovens não são tão afetados.

Nesta segunda-feira (16/3), a OMS (Organização Mundial de Saúde) disse o contrário, que até crianças tinham sido infectadas de forma grave.

Após concluir sua fala, o presidente abandonou a sala, recusando-se a responder perguntas, afirmando que tinha de fazer algumas ligações. Mike Pence, que tem liderado a força-tarefa da Casa Branca contra o coronavírus, assumiu o restante dos pronunciamentos.

Com sua saída de cena, o tom do pronunciamento público mudou radicalmente. Enquanto Trump afirmava que o governo tinha “extremo controle” da pandemia de coronavírus, membros da força-tarefa da Casa Branca expressaram uma perspectiva menos otimista. “O pior ainda está por vir”, disse Anthony Fauci, especialista em doenças infecciosas, enfatizando que os Estados Unidos estão em um “ponto muito crítico”, conforme restaurantes, cinemas e bares começam a fechar em todo o país.

Na sexta-feira, Chris Evans disse esperar que todos estejam “se planejando e procurando informação confiável”. No passado, o ator chamou o presidente Trump de “absoluto idiota de merda” e agora está convicto que ele não capacidade de liderar o país durante a crise do coronavírus.

Vale lembrar que o Brasil tem problema igual.

De modo geral, governos de extrema direita, e isto inclui o Reino Unido, tem menosprezado a pandemia e aconselhado a população a relaxar. Bolsonaro, por exemplo, diz que há um “superdimensionamento” do problema, que matou 368 pessoas na Itália só nas últimas 24 horas. E o Japão, também liderado por conservador, insiste em manter a ilusão de que as Olimpíadas de Tóquio serão realizadas.