Star Trek: Próximo filme deve acompanhar nova tripulação espacial

A imprensa americana aproveitou a participação do showrunner e cineasta Noah Hawley (criador das séries “Fargo” e “Legion”) no evento semestral da TCA (Associação de Críticos da TV dos EUA) para descobrir o que vai acontecer no próximo longa-metragem da franquia “Star Trek”. Hawley foi confirmado em novembro passado como roteirista e diretor do quarto filme da saga espacial – desde o reboot de 2009 – , e finalmente deu os primeiros detalhes da produção.

Para começar, o longa não deverá ter o número 4 em seu título. Isto porque não será centrado na tripulação da Enterprise introduzida no filme de 2009.

Todo o elenco dos três filmes anteriores já está com contratos vencidos e o filme de Hawley deve relançar a franquia com novos atores. Na verdade, ele deve ir além, filmando personagens completamente diferentes.

Perguntado especificamente sobre o elenco, Hawley confirmou que pretende escalar novos atores. “Sim, acredito que sim. Ainda estamos no começo do projeto, mas novos personagens costumam implicar novos atores”, disse, sinalizando que o longa pode ser mais um spin-off que uma continuação.

“Eu tenho a minha própria visão da franquia, como qualquer fã de longa data”, comentou.

Isto não significa o fim da jornada das atuais encarnações do Capitão Kirk (Chris Pine), Sr. Spock (Zachary Quinto), Dr. McCoy (Karl Urban), Scotty (Simon Pegg), Tenente Uhura (Zoe Saldana) e Sr. Sulu (John Cho). Mesmo com a opção por outros personagens, a inclusão de algum(ns) protagonista(s) conhecido(s) pode servir de ponto de intersecção para o lançamento de uma “nova geração” – como aconteceu com Leonard Nimoy, ao interpretar o Sr. Spock original no longa de 2009.

Além do “Star Trek” dirigido por J.J. Abrams, a nova versão da franquia cinematográfica também incluiu os filmes “Além da Escuridão: Star Trek” (2013) e “Star Trek: Sem Fronteiras” (2016).

Recentemente, Quentin Tarantino também esteve entusiasmado com a possibilidade de filmar um exemplar da franquia, mas suas últimas declarações indicam que ele já desistiu da ideia.