Já bilionária, animação Frozen 2 finalmente estreia no Brasil

2020 começa em clima de feliz ano velho nos cinemas brasileiros. “Frozen 2” finalmente chega no país nesta quinta (2/1), após ter feito mais de US$ 1 bilhão de bilheteria em todo o mundo. A Disney deixou o Brasil por último, apesar de já ter cópia pronta para o mercado nacional há um mês, desde a première do longa na CCXP.

Nos EUA, o filme estreou em novembro, já batendo recordes. Mas a crítica não compartilhou do mesmo entusiasmo do público, considerando a continuação inferior ao original, com “apenas” 77% de aprovação na média da avaliação computada pelo site Rotten Tomatoes, contra 90% de satisfação atingida pelo primeiro. Apesar de divertida, a nova aventura é menos encantadora e repisa temas já superados pelo filme de 2013.

Em circuito bem menor, ainda estreiam mais dois filmes americanos muito bem cotados.

Em preto e branco e com forte influência expressionista, “O Farol” traz Robert Pattinson (“Bom Comportamento”) e Willem Dafoe (“Projeto Flórida”) como trabalhadores solitários de um farol numa ilha deserta, no final do século 19. Voltando a explorar o isolamento e a superstição como fontes de tensão e paranoia, o diretor Robert Eggers repete o desempenho premiado de sua estreia, “A Bruxa” (2015). Coprodução internacional da produtora brasileira RT Features, de Rodrigo Teixeira, o novo terror conquistou o Prêmio da Crítica na Quinzena dos Realizadores (uma seção do Festival de Cannes) e 92% de aprovação no site Rotten Tomatoes.

Por fim, “O Caso Richard Jewell” é o novo filme de Clint Eastwood, que, aos 89 anos de idade, lança mão de mais um drama baseado em fatos reais para explorar seu tema favorito: o heroísmo em todas as suas variações. A trama gira em torno da ação do segurança Richard Jewell (Paul Walter Hauser, de “Infiltrado na Klan”) no atentado das Olimpíadas de Atlanta, em 1996, que deixou um morto e mais de 100 feridos. Inicialmente aclamado como herói, por ter impedido tragédia maior, ele acabou se tornando o principal suspeito de plantar as bombas. O FBI revistou sua casa duas vezes e a mídia o apresentou como um policial frustrado que poderia ter planejado tudo pela fama e o desejo de ser visto como herói.

Os fatos são históricos e quem quiser saber o desfecho pode procurar na Wikipedia. De todo modo, é uma história emblemática e o filme já rendeu polêmica nos EUA pela forma como retratou a cobertura da imprensa, especialmente a jornalista vivida por Olivia Wilde (“Tron: O Legado”), que, segundo a ficção, teria trocado informações confidenciais por sexo. Como a jornalista real já é morta, o jornal em que ela trabalhava tomou suas dores, numa campanha agressiva que fez cair a aprovação do longa (está com 73% no Rotten Tomatoes) e pode ter lhe custado prêmios. Não por acaso, o filme só conseguiu uma indicação ao Globo de Ouro 2020: para Kathy Bates, como Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel da mãe de Richard Jewell.

Confira abaixo mais detalhes das estreias da semana com suas sinopses e trailers.

Frozen 2 | EUA | Animação

De volta à infância de Elsa e Anna, as duas garotas descobrem uma história do pai, quando ainda era príncipe de Arendelle. Ele conta às meninas a história de uma visita à floresta dos elementos, onde um acontecimento inesperado teria provocado a separação dos habitantes da cidade com os quatro elementos fundamentais: ar, fogo, terra e água. Esta revelação ajudará Elsa a compreender a origem de seus poderes.

O Farol | EUA | Terror

Início do século 20. Thomas Wake (Willem Dafoe), responsável pelo farol de uma ilha isolada, contrata o jovem Ephraim Winslow (Robert Pattinson) para substituir o ajudante anterior e colaborar nas tarefas diárias. No entanto, o acesso ao farol é mantido fechado ao novato, que se torna cada vez mais curioso com este espaço privado. Enquanto os dois homens se conhecem e se provocam, Ephraim fica obcecado em descobrir o que acontece naquele espaço fechado, ao mesmo tempo em que fenômenos estranhos começam a se manifestar ao seu redor.

O Caso Richard Jewell | EUA | Drama

A história real de Richard Jewell (Paul Walter Hauser), segurança que foi o responsável por descobrir explosivos e ajudar inocentes a fugirem de um atentado às Olimpíadas de Atlanta, no ano de 1996, apenas para se tornar um dos principais suspeitos do ato terrorista.