1917 lidera bilheteria dos EUA após vencer Globo de Ouro


O espetáculo de guerra do diretor Sam Mendes, “1917”, assumiu o 1º lugar nas bilheterias da América do Norte, capitalizando a divulgação de sua vitória no Globo de Ouro, no fim de semana passado. Único filme que poderia se beneficiar financeiramente da exposição televisiva do prêmio da Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, “1917” faturou US$ 36,5 milhões entre sexta e domingo (12/01) nos Estados Unidos e Canadá, consagrando o planejamento bem realizado de suas estratégias de marketing e distribuição.

Originalmente lançado em circuito limitado durante o Natal, para se qualificar à temporada de premiações, o filme da 1ª Guerra Mundial esperou o resultado do Globo de Ouro para ampliar seu circuito. E o cronograma se provou acertado. “1917” transformou sua vitória em impulso para superar o blockbuster “Star Wars: A Ascensão Skywalker”, que após liderar o ranking por três semanas, caiu para o 2º lugar.

“1917” também conquistou US$ 19 milhões com lançamento em mais de 30 países e críticas bastante positivas, que lhe deram uma média de 90% de aprovação no site Rotten Tomatoes. A produção da Universal agora aguarda as indicações ao Oscar, que serão conhecidas na segunda (13/1), para avançar em novos territórios. A estreia no Brasil vai acontecer na próxima semana, no dia 23 de janeiro.

A semana ainda registrou duas estreias com ampla distribuição, a comédia “Like a Boss”, sem previsão para o Brasil, e a sci-fi “Ameaça Profunda”, que chegou aos cinemas brasileiros também neste fim de semana. Ambos decepcionaram nas bilheterias e foram destruídos pela crítica, mas só um deles era uma superprodução milionária.

“Ameaça Profunda” afundou com apenas US$ 7 milhões nas bilheterias norte-americanas, ocupando a 7ª posição. No mundo inteiro, foram US$ 14 milhões. Mas custou em torno de US$ 80 milhões para ser produzido.

O resultado representa o terceiro fracasso consecutivo estrelado pela atriz Kristen Stewart nas últimas semanas. Lançado há exatamente dois meses, o reboot de “As Panteras” somou, ao todo, US$ 17,7 milhões nos EUA e Canadá. E “Seberg”, que completa um mês em circuito limitado, nem sequer contabilizou bilheteria suficiente para entrar em qualquer ranking, muito menos transformar a atriz em candidata a prêmios, como alguns sonharam. Estes fracassos podem ter impacto negativa na carreira da jovem estrela, afastando-a do protagonismo de Hollywood.

Confira abaixo os rendimentos dos 10 filmes mais vistos no fim de semana na América do Norte, e clique em seus títulos para ler mais sobre cada produção.

BILHETERIAS: TOP 10 América do Norte

1. 1917
Fim de semana: US$ 36,5M
Total EUA e Canadá: US$ 39,2M
Total Mundo: US$ 60,4M

2. Star Wars: A Ascensão Skywalker
Fim de semana: US$ 15M
Total EUA e Canadá: US$ 478,1M
Total Mundo: US$ 989,5M



3. Jumanji: Próxima Fase
Fim de semana: US$ 14M
Total EUA e Canadá: US$ 257,1M
Total Mundo: US$ 632,5M

4. Like a Boss
Fim de semana: US$ 10M
Total EUA e Canadá: US$ 10M
Total Mundo: US$ 10M

5. Adoráveis Mulheres
Fim de semana: US$ 7,6M
Total EUA e Canadá: US$ 74M
Total Mundo: US$ 94,4M

7. Ameaça Profunda
Fim de semana: US$ 7M
Total EUA e Canadá: US$ 7M
Total Mundo: US$ 14,1M

8. Frozen 2
Fim de semana: US$ 5,7M
Total EUA e Canadá: US$ 459,3M
Total Mundo: US$ 1,3B

9. Entre Facas e Segredos
Fim de semana: US$ 5,7M
Total EUA e Canadá: US$ 139,6M
Total Mundo: US$ 265,4M

10. Um Espião Animal
Fim de semana: US$ 5,1M
Total EUA e Canadá: US$ 54,6M
Total Mundo: US$ 115M


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings