Star Wars: A Ascensão Skywalker estreia em quase 2 mil salas no Brasil

Tudo mundo sabe que “Star Wars” tem a Força, mas a Disney exagerou no lançamento do último capítulo da saga. “Star Wars: A Ascensão Skywalker” está sendo distribuído em 1,9 mil salas, na maior estreia da franquia no Brasil – e um dos maiores lançamentos de cinema no país em todos os tempos. Só não atingiu nível de “Vingadores: Ultimato” (o recordista em 2,7 mil telas) porque os estúdios rivais resolveram competir, em vez de se submeter à hegemonia como vinha sendo a regra.

A animação “Playmobil” vai tentar vender ingressos em 360 cinemas e até “Cats” foi adiantado pela Universal. Previsto originalmente para o Natal, chega uma semana antes em pré-estreia paga – que, na prática, é igual a um lançamento convencional.

Será que os espectadores terão muita dificuldade para escolher que filme assistir com essa programação?

Todos os três frustraram expectativas da crítica. “Star Wars: A Ascensão Skywalker” foi considerado o pior filme da nova trilogia e o segundo pior de toda a franquia, enquanto “Playmobil” se tornou o maior fracasso comercial de 2019 e conseguiu, junto do eviscerado “Cats”, uma das avaliações mais baixas do ano no Rotten Tomatoes. Ambos estão empatados com apenas 16% de (ruindade) aprovação.

Em circuito intermediário, também há um despejo de “A Batalha das Correntes”, filme com elenco de super-heróis da Marvel (Benedict Cumberbatch, Tom Holland, Nicholas Hoult) sobre a história da eletricidade, que escapou do limbo, após dois anos arquivado na massa falida da Weinstein Company – rescaldo das denúncias contra o produtor-predador Harvey Weinstein. A queda do produtor foi o que de melhor poderia ter acontecido para o diretor Alfonso Gomez-Rejon (“Eu, Você e A Garota que vai Morrer”), que salvou o filme mal-avaliado com novas filmagens, e sua segunda edição fez a aprovação subir de 29%, quando exibido no Festival de Toronto em 2017, para 60%, quando chegou nos cinemas norte-americanos em outubro passado. Só faltou avisar ao público, que o ignorou completamente, restando-lhe uma curta carreira internacional, antes de chegar ao streaming.

Entre os lançamentos limitados, o grande destaque é “E Então Nós Dançamos”, drama de temática LGBTQ+ que gerou tumultos na Geórgia, com ataques de grupos da extrema direita homofóbica do país aos cinemas. Dirigido por Levan Akin, georgiano residente na Suécia, o longa teve première no Festival do Cannes e já venceu uma dezena de prêmios em festivais ao redor do mundo, além de ter sido o candidato da Suécia a uma vaga na disputa do Oscar de Melhor Filme Internacional. Tem 94% de aprovação da crítica de língua inglesa, segundo o site Rotten Tomatoes, o que significa que é 34% melhor que “Star Wars: A Ascensão Skywalker”. Fica a dica.

Se preferir uma segunda opção cinéfila, “O Paraíso Deve Ser Aqui” (91% de aprovação), em que o cineasta Elia Suleiman viaja pelo mundo, sempre encontrando paralelos com a situação desoladora de sua Palestina natal, também tem uma boa coleção de prêmios no currículo, incluindo um Menção Especial e o Prêmio da Crítica no último Festival de Cannes. O filme ainda foi o representante da Palestina na disputa de vaga no Oscar 2020.

Mas é claro que vocês vão preferir lotar os cinemas que exibem o filme das estrelas da Disney.

De todo modo, abaixo estão mais detalhes das estreias da semana com todos os títulos, suas sinopses e trailers.

Star Wars: A Ascensão Skywalker | EUA | Sci-Fi

Com o retorno do Imperador Palpatine, todos voltam a temer seu poder e, com isso, a Resistência toma a frente da batalha que ditará os rumos da galáxia. Treinando para ser uma completa Jedi, Rey (Daisy Ridley) ainda se encontra em conflito com seu passado e futuro, mas teme pelas respostas que pode conseguir a partir de sua complexa ligação com Kylo Ren (Adam Driver), que também se encontra em conflito pela Força.

Cats | EUA | Musical

Uma tribo de gatos chamada Jellicles todo ano precisa tomar uma grande decisão em uma noite especial: escolher um dos gatos para ascender para o Heaviside Layer e conseguir uma nova e melhor vida. Cada um dos gatos conta a sua história para seu líder, o velho Deuteronomy, na tentativa de ser o escolhido.

Playmobil – O Filme | França | Animação

Marla está acostumada a cuidar do irmão mais velho, Charlie, até o dia em que os dois são transportados para dentro do universo mágico dos Playmobil. A garota embarca numa jornada de resgate com a ajuda de novos amigos encontrados pelo caminho, como o agente secreto Rex Dasher, o caminhoneiro Del, uma fada madrinha e um androide.

A Batalha das Correntes | EUA | Drama

Ambientado no final do século XIX, o filme reencena a disputa entre Thomas Edison (Benedict Cumberbatch) e George Westinghouse (Michael Shannon) sobre como deveria ser feita a distribuição da eletricidade. Edison fez uma campanha pela utilização da corrente contínua, enquanto Westinghouse defendia a corrente alternada.

E Então Nós Dançamos | Suécia, Georgia | Drama

Merab (Levan Gelbakhiani) é bailarino do National Georgian Ensemble desde a infância. No auge de sua carreira, Merab precisa lidar com a chegada do carismático Irakli (Bachi Valishvili), um talentoso dançarino que se torna seu principal rival e, também, seu amor secreto. Em um cenário conservador e hostil, Merab enfrenta um dilema que divide seu sonho e sua nova paixão.

O Paraíso Deve Ser Aqui | França, Catar | Comédia

Elia Suleiman deixa sua terra natal da Palestina e viaja pelo mundo apenas para encontrar, por onde ele passa, os mesmos problemas que encontrava lá. De Paris à Nova York, por onde suas viagens o levam, ele encontra problemas com a polícia, racismo, controle de imigração. Tentando deixar sua nacionalidade para trás, mas sempre sendo lembrado dela, ele questiona o significado de identidade e o lugar que se pode chamar de lar.

Carta Registrada | Egito | Drama

Desde que seu marido foi preso, Hala (Basma) tem que enfrentar seus pensamentos suicidas sozinha. Sua força tem que vir de dentro, pois a sociedade não a ajuda e nem perdoa uma mulher deprimida, principalmente por ela ser mãe.

A Rosa Azul de Novalis | Brasil | Documentário

Marcelo é um dândi na faixa dos seus 40 anos que possui uma memória fora do comum. Ele é capaz de reviver memórias familiares distantes com perfeição e diz recordar de suas vidas passada detalhadamente: em uma delas, ele foi Novalis, um poeta alemão que perseguia uma rosa azul incessantemente. No entanto, Marcelo ainda não descobriu o que persegue em sua existência atual.