blank

Supernatural não terá série derivada, mas pode ganhar revival



O final anunciado da série “Supernatural”, mais antiga produção da rede americana The CW, não vai ter gancho para o lançamento de uma série derivada. A conclusão da 15ª temporada, em 2020, marcará o fim das histórias de caça a monstros da família Winchester. Isto é, até que as estrelas da série, Jared Padalecki e Jensen Ackles, decidam retornar mais adiante para novas aventuras.

A revelação foi feita pelo presidente da rede The CW, Mark Pedowitz, durante sua participação, neste domingo (4/8), no encontro semestral entre executivos da indústria televisiva e a TCA (Associação dos Críticos de TV dos EUA).

“Nós tivemos uma longa e triste discussão sobre concluir ‘Supernatural’. Queríamos ter certeza daquilo que Jensen e Jared realmente queriam. Após tanto tempo, os dois queriam passar mais tempo com suas famílias, e novos desafios”, disse Pedowitz, para salientar que a série não está acabando por decisão da rede.

Ele lembrou que os produtores tentaram aprovar dois spinoffs nos últimos anos, tentando se antecipar ao fim da série, mas nenhum agradou. O primeiro foi concebido em 2013, intitulado “Supernatural: Bloodlines”, que iria explorar personagens novos em Chicago. O segundo, concebido em 2017, seria uma versão feminina, “Wayward Sisters”, que reuniria um grupo de garotas já vistas na série, encabeçado por Kathryn Newton (“The Society”).



“Nós tivemos discussões sobre isso, mas nada foi adiante. A esta altura ficou claro que a essência da série resume-se a Jensen e Jared”, disse Pedowitz, enterrando planos para manter o universo de “Supernatural” vivo no canal. Entretanto, ele se disse aberto a um projeto de revival, caso os intérpretes dos irmãos Winchester resolvam mudar de ideia e retomar a série daqui a alguns anos.

“A série vai acabar do jeito que eles querem. Mas se vocês puderem convencê-los a voltar, eu estou aberto”, ele afirmou.

Atualmente em produção, a 15ª temporada de “Supernatural” terá 20 episódios, como de costume.

No Brasil, a série é exibida no canal pago Warner e na rede SBT (traduzida como “Sobrenatural”).


blank

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings