Arrowverso vai ganhar mais séries em breve


O fim da série “Arrow”, prevista para se encerrar na próxima temporada, em meio ao crossover “Crise nas Infinitas Terras”, pode servir para lançar uma nova série derivada.

A revelação foi feita pelo presidente da rede The CW, Mark Pedowitz, durante sua participação, neste domingo (4/8), no encontro semestral entre executivos da indústria televisiva e a TCA (Associação dos Críticos de TV dos EUA).

“Existe a possibilidade de um derivado de ‘Arrow’ focado nos personagens de 2040, mas ainda não discutimos com mais detalhes”, ele afirmou, citando os personagens introduzidos nos flashforwards da 7ª temporada, com destaque para os filhos de Oliver Queen (Stephen Amell), Black Star/Mia (Katherine McNamara) e William (Ben Lewis). “Ainda não sabemos para onde eles vão levar os personagens”, acrescentou.

Além dessa informação, Pedowitz deu detalhes adicionais sobre o futuro promissor do Arrowverso no canal.



Em primeiro lugar, não há planos para encerrar nenhuma das demais séries da DC Comics que fazem parte da programação da CW. “Esperamos que as outras séries ainda durem por muitos e muitos anos. Nós acreditamos nelas. É um universo rico de possibilidades”.

O executivo ainda confirmou que esse universo vai realmente se ampliar em breve. “Nesse momento, estamos olhando para outra propriedade da DC para a próxima temporada”, que não é “Arrow 2040″.

Pedowitz se recusou a adiantar qual seria o título. Mas excluiu um resgate de “Constantine” da lista de possibilidades. Originalmente exibida pela NBC, a série de John Constantine acabou cancelada na 1ª temporada, mas o personagem acabou reaparecendo no Arrowverso com o mesmo intérprete, Matt Ryan. Atualmente, ele faz parte do elenco de “Legends of Tomorrow“.

De acordo com Pedowitz, Constantine terá importante participação na próxima temporada de “Legends”, principalmente pela grande vilã ser Astra, uma personagem de sua série, e é apenas isso que está planejado para seu futuro.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings