Harry Styles recusa papel de príncipe encantado em A Pequena Sereia



Harry Styles recusou a oferta da Disney para interpretar o príncipe encantado do remake live-action de “A Pequena Sereia”.

A negociação entre o estúdio e o cantor da boy band One Direction veio à tona em julho, mas na tarde desta terça (13/8), um blog de fãs da Disney publicou que o contrato tinha sido assinado. A notícia foi reproduzida por sites e portais ao redor do mundo – não aqui, é claro. O detalhe é que só o site The DisInsider tinha essa informação. Já os sites mais tradicionais publicaram, ao fim do dia, uma notícia bem diferente, desmentindo o boato plantado como clickbait.

Embora tenha demonstrado interesse em seguir carreira cinematográfica, após estrear nas telas com um papel no drama de guerra “Dunkirk”, de Christopher Nolan, “A Pequena Sereia” não é o tipo de filme que Styles pretende fazer. Ele tentou, sem sucesso, estrelar a nova cinebiografia de Elvis Presley, que será dirigida por Baz Luhrmann, mas acabou perdendo o papel para Austin Butler (“The Shannara Chronicles”)

Até agora, apenas a protagonista do remake está confirmada. A princesa Ariel será interpretada por Halle Bailey (da série “Grown-ish”), marcando uma mudança racial em relação ao desenho animado de 1989.

O filme será a estreia cinematográfica de Bailey, que também é cantora. Ela tem um projeto musical com sua irmã, a dupla Chloe x Halle.

A produção ainda negociou com Melissa McCarthy (“Poderia Me Perdoar?”), Jacob Tremblay (“Extraordinário”), Awkwafina (“Podres de Rico”) e Javier Bardem (“Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar”) para integrarem o elenco, mas não há confirmação de suas contratações.


“A Pequena Sereia” é uma das últimas animações que restam para a Disney refilmar com atores, uma estratégia que continua a render hits, como “Aladdin”, lançado em maio com arrecadação de mais de US$ 1 bilhão em todo o mundo.

Na trama, a filha do Rei Tritão da Atlântida rebela-se para fazer parte do mundo humano e acaba se casando com um humano, o príncipe Eric, que ela resgatou de um naufrágio. Diferente da versão Disney, o conto original de Hans Christian Anderson não tem final feliz, pois Eric se revela interessado apenas em usar Ariel, sem direito a um “e viveram felizes para sempre” em seu futuro – que por isso é trágico.

A nova adaptação começou a ganhar vida com roteiro de Jane Goldman (“Kingsman: O Círculo Dourado”), que foi reescrito por David Magee a pedido do diretor Rob Marshall. Ambos trabalharam juntos em “O Retorno de Mary Poppins”, no ano passado.

O compositor Alan Menken, vencedor do Oscar de Melhor Canção Original pelo desenho dos anos 1980, também está no projeto, desenvolvendo com Lin-Manuel Miranda (outro de “O Retorno de Mary Poppins”) uma nova trilha.

Além disso, o longa contará com mais três vencedores do Oscar acostumados a trabalhar com Marshall: o diretor de fotografia Dion Beebe, a figurinista Colleen Atwood e o diretor de arte John Myhre. O trio colaborou com o cineasta em “Memórias de Uma Gueixa” (2005) e “Chicago” (2002).

Ainda não há previsão para a estreia do novo “A Pequena Sereia”.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings