Fogo na Amazônia chega a Hollywood em protestos de Leonardo DiCaprio, Ariana Grande e muitas celebridades



As recentes queimadas na floresta Amazônica geraram uma crise ambiental sem precedentes no país, com direito a chuva negra em São Paulo, e repercutiram no mundo inteiro. Astros de Hollywood como Leonardo DiCaprio, Cara Delevingne, Jaden Smith, as cantoras Ariana Grande, Demi Lovato, Billie Eilish e Lauren Jauregui e até as top models brasileiras Adriana Lima e Gisele Bündchen se manifestaram nas redes sociais para pedir a preservação da floresta por parte do governo brasileiro.

DiCaprio reproduziu uma foto de um incêndio antigo acompanhada de texto escrito por outro usuário que diz: “É assustador pensar que a Amazônia — a maior floresta tropical do mundo, que cria 20% do oxigênio da terra e é basicamente o pulmão do planeta — está em chamas a 16 dias com literalmente nenhuma cobertura da mídia”. E deu sequência com um post explicando como todos poderiam ajudar a combater o incêndio.

Altamente politizado, um dos textos do ator cita o aumento de 84% no desmatamento da Amazônia nos primeiros meses do governo de Bolsonaro e cita nominalmente o presidente do Brasil como principal responsável pela crise. “Cientistas e conservacionistas atribuem a aceleração do desmatamento ao presidente Jair Bolsonaro, que lançou um convite aberto a madeireiros e fazendeiros para limpar a terra depois de assumir o cargo em janeiro”, ele escreveu. E ao citar soluções definitivas para as queimadas da região, incluiu a seguinte sugestão: “Quando chegar a hora da eleição, VOTE em líderes que compreendam a urgência de nossa crise climática e que estejam dispostos a agir com ousadia – incluindo uma governança sólida e uma política inovadora”.

Ninguém mais foi tão contundente.

Demi e Ariana usaram a ferramenta stories do Instagram para se manifestar. Elas republicaram textos sobre as queimadas e escreveram “Orando pela Amazônia”, frase que virou hashtag nas redes sociais – #PrayForAmazon, em inglês.

Cara Delevigne também se utilizou do Instagram. Ela compartilhou imagens da queimada com uma mensagem em caixa-alta: “Este é um dos ecossistemas mais importantes do mundo. Espalhem a notícia!”.

Além das celebridades estrangeiras ou residentes no exterior, vários cantores e artistas do Brasil também registraram seus protestos nas redes sociais, entre eles famosos tão diferentes quanto Caetano Veloso, Luísa Sonza, Luan Santana, Bruna Marquezine, Sasha Meneghel, Elza Soares, Thaís Araújo, Leandra Leal, Anitta, Luisa Mell, Alice Weggman e até o capitão da seleção brasileira de futebol Daniel Alves.

Já o presidente Jair Bolsonaro, em sua primeira manifestação sobre o maior incêndio já visto na região, tratou de considerar a repercussão como parte de uma conspiração internacional para atacar o Brasil.

Falando para a imprensa nesta quarta (21/8), o presidente do Brasil, que se compara ao personagem animado Johnny Bravo, culpou as ONGs de proteção ambiental, que perderam verba federal, como possíveis responsáveis por espalhar o fogo. “Pode estar havendo, sim, pode, não estou afirmando, ação criminosa desses ‘ongueiros’ para chamar a atenção contra a minha pessoa, contra o governo do Brasil. Essa é a guerra que nós enfrentamos”, disse o presidente da República.

Bolsonaro acrescentou que seu “sentimento” é de que os incêndios criminosos têm o objetivo de enviar as imagens para o exterior. Perguntado se há investigação sobre o tema, ele disse que esse tipo de caso não tem registros escritos.

“O fogo foi tocado, pareceu, em lugares estratégicos. [Tem] imagens da Amazônia toda. Como é que pode? Nem vocês teriam condições de todos os locais estar tocando fogo para filmar e mandar para fora. Pelo que tudo indica, foi para lá o pessoal para filmar e tocaram fogo. Esse que é o meu sentimento”, afirmou.

Para Bolsonaro, essas ONGs representam “interesses de fora do Brasil”.

“A questão da queimada na Amazônia, que no meu entender pode ter sido potencializada por ONGs, porque eles perderam grana, qual é a intenção? Trazer problemas para o Brasil”, disse o presidente.

O presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), Carlos Bocuhy, criticou a fala de Bolsonaro, classificando-a de “irresponsável”.

O número de focos de queimadas no Brasil desde que Bolsonaro assumiu a presidência já é 83% maior do que no ano passado.

Ao menos, o presidente disse a verdade quando afirmou ter cortado verba de preservação ambiental.

Ele também levou o Brasil a perder o chamado Fundo da Amazônia, mantido com doações da Alemanha e da Noruega. Reportagem do Jornal Nacional afirmou na noite de segunda (19/8) que o dinheiro do Fundo bancou a maior parte do material de combate ao incêndio usado neste momento nas regiões de foco mais intenso das chamas, e que o corte impedia novos investimentos para enfrentar esse tipo de situação.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, tentou minimizar o problema chamando de sensacionalistas e “fake news” as informações de que a escuridão repentina e chuva negra que se abateu sobre São Paulo na segunda-feira seria consequência da amplitude do incêndio na Amazônia. Mas foi desmentido por pesquisa científica de duas universidades, USP e São Caetano, que constataram a presença de material tóxico de queimada de florestas em abundância na água colhida durante a chuva negra paulistana. Detalhe: o material é cancerígeno.

A organização não-governamental Avaaz já colheu mais de um milhão de assinaturas numa petição para exigir que o Congresso Nacional tome medidas para coibir o desmatamento ilegal e as queimadas na Amazônia, que o governo ou chama de “fake news” ou diz ser parte de uma conspiração contra o Brasil.

Ver essa foto no Instagram

#Regram #RG @rainforestalliance: The lungs of the Earth are in flames. 🔥 The Brazilian Amazon—home to 1 million Indigenous people and 3 million species—has been burning for more than two weeks straight. There have been 74,000 fires in the Brazilian Amazon since the beginning of this year—a staggering 84% increase over the same period last year (National Institute for Space Research, Brazil). Scientists and conservationists attribute the accelerating deforestation to President Jair Bolsonaro, who issued an open invitation to loggers and farmers to clear the land after taking office in January.⁣ ⁣ The largest rainforest in the world is a critical piece of the global climate solution. Without the Amazon, we cannot keep the Earth’s warming in check. ⁣ ⁣ The Amazon needs more than our prayers. So what can YOU do?⁣ ⁣ ✔ As an emergency response, donate to frontline Amazon groups working to defend the forest. ⁣ ✔ Consider becoming a regular supporter of the Rainforest Alliance’s community forestry initiatives across the world’s most vulnerable tropical forests, including the Amazon; this approach is by far the most effective defense against deforestation and natural forest fires, but it requires deep, long-term collaboration between the communities and the public and private sectors. ✔ Stay on top of this story and keep sharing posts, tagging news agencies and influencers. ⁣ ✔ Be a conscious consumer, taking care to support companies committed to responsible supply chains.⁣ Eliminate or reduce consumption of beef; cattle ranching is one of the primary drivers of Amazon deforestation. ✔ When election time comes, VOTE for leaders who understand the urgency of our climate crisis and are willing to take bold action—including strong governance and forward-thinking policy.⁣ ⁣ #RainforestAlliance #SaveTheAmazon #PrayForAmazonia #AmazonRainforest #ActOnClimate #ForestsResist #ClimateCrisis 📸: @mohsinkazmitakespictures / Windy.com

Uma publicação compartilhada por Leonardo DiCaprio (@leonardodicaprio) em

Ver essa foto no Instagram

#PrayforAmazonia 🙏🏽

Uma publicação compartilhada por Cara Delevingne (@caradelevingne) em

Ver essa foto no Instagram

Although I’ll admit prayer helps me breathe most days, It can’t quite do the same job the Amazon in Brazil does for the human populace (not to mention all the life forms on this planet that also need oxygen to survive.) The Amazon has been burning for the past almost 3 weeks with little to no media coverage. The Amazon is responsible for 20% of our oxygen. Gaia is screaming. We are truly so disrespectful to our children, and our grandchildren, and their children. Awareness is one thing but I truly wanna know when we’re all going to wake up and feel the poison in our lungs. I honor mama Gaia today and pray for our collective healing and growth towards understanding that this is our only home. We borrow it from our children, and the mess we have made on it is so carelessly destructive. All in the name of the almighty dollar. It alarms me that so many in possession of power on this planet truly do not care about or even believe in the crisis we face. It pains me that they continue to deny, suppress truth and spew out false information. To roll back policies that protect our environment and native people’s rights all while profiting off the lands and people they continue to destroy. What is happening in the Amazon, what is happening in Hawaii, is all connected. We should all be paying very close attention to the way our chosen leaders treat the planet we live on and only have one of. We should be very very aware during election season so closely upon us, but we should also be figuring out ways to be conscious of our environment and our interaction with it every day. My heart hurts for all the animals whose homes have been destroyed, for all of the indigenous peoples who have been affected by the loss of this land, for all of the unique plant life and beauty that we have just lost as a collective family on this planet. Offering up all the healing energy I can muster. ❤️🙏🏼✨

Uma publicação compartilhada por Lauren Jauregui (@laurenjauregui) em


Ver essa foto no Instagram

Senhor presidente da república, Respeite o povo brasileiro. Assuma sua responsabilidade! Não nos trate como idiotas. Sim, época de seca na Amazônia, mas as causas naturais não são suficientes para explicar a magnitude dos incêndios neste ano. É um crime contra toda a humanidade o que acontece neste momento. O senhor pode dizer que os números mentem, pode tentar acusar os cientistas de estarem contra o senhor. Pode tentar jogar a culpa nas ongs. Mas a verdade se impõe. Será o senhor [email protected]? Vou ajudá -lo então : Em maio, além de praticamente zerar o orçamento para implementar políticas sobre mudanças climáticas no Brasil, o governo federal bloqueou 38,4% do orçamento para prevenção e controle de incêndios florestais, montante equivalente a R$ 17,5 milhões. O senhor provocou um desmonte nos órgãos de fiscalização. Muitos fiscais foram exonerados de seus cargos por “incomodarem” fazendeiros e empresários. O desmatamento cresce em um ritmo assustador. Fazendeiros e grileiros da região [email protected] que iriam fazer o dia do fogo na Amazônia. cumpriram a promessa e deliberadamente queimaram uma área vegetada da região de Novo Progresso. Resultado? Um aumento de 300% nos focos de incêndio em comparação com o dia anterior, pelos registros do Inpe. Apesar do senhor assumir publicamente que deve lealdade aos ruralistas, lembre-se que o senhor deve lealdade a todo o povo brasileiro! O senhor abriu mão de 300 milhões do Fundo da Amazônia, dinheiro vindo de outros países que era utilizado para fiscalizar, ajudar a combater o desmatamento e queimadas. Disse q n precisava. Tentou alegar que existia corrupção nas ongs, no repasse… (seu ministro enrolou, mentiu mais uma vez e n comprovou nada…) e agora diz que não pode fazer nada contra incêndios florestais pq a Amazônia é muito grande? Cada dia fica mais evidente pq abriu mão de milhões para conter o desmatamento. Pq o senhor n está ao lado do povo brasileiro, o senhor está ao lado dos que lucram bilhões com a destruição da nossa natureza. E agora eu pergunto ao povo brasileiro: VMS Assistir calados? Ou vms a luta! Senhor presidente tem q ouvir a nossa voz. #savetheamazon #savetheamazonrainforest

Uma publicação compartilhada por Luisa mell (@luisamell) em

Ver essa foto no Instagram

É redonda, gira e está em chamas. Todos já vimos e lemos que a Amazônia está ardendo em chamas e que essa escuridão repentina em São Paulo pode estar relacionada com a pior queimada na região nos últimos cinco anos. De Rondônia chegam relatos de dias seguidos sem o azul do céu no horizonte. O curioso é que ontem mesmo eu, @leandraleal, @thainaduarteoficial e @caiapitanga falávamos sobre a importância da preservação e sobre o fato de as nossas atitudes diárias afetarem o futuro do nosso planeta. Nem sei mais se podemos falar em "futuro", uma vez que já estamos testemunhando as consequências do descuido de nossas ações e políticas públicas ou falta delas. Alguns moradores de São Paulo coletaram um pouco da água da chuva de ontem, pós escuridão, com aparência barrenta e cheiro de queimado. Fico pensando ainda sobre o que pode acontecer com quem está respirando esse ar, o tanto de doenças respiratórias que podem vir em consequência disso, pra começo de conversa… E então, deixa mesmo queimar lá na Amazônia? Não vai acontecer nada sério no mundo se explorarmos desenfreadamente essas matas? Ontem tivemos um pequeno exemplo de que não é bem assim. Já passou da hora de nos importarmos e salvarmos o que ainda nos resta do amanhã. Falar sobre isso é apenas o primeiro passo.

Uma publicação compartilhada por Taís Araujo (@taisdeverdade) em

Ver essa foto no Instagram

que Deus proteja nossa floresta 😭♥️

Uma publicação compartilhada por Luan Santana (@luansantana) em

Ver essa foto no Instagram

Não tem mais como compactuar com isso. Não tem mais como sermos governados por quem segue nessa onda de negacionismo. Não tem mais como contestar a estatística, a ciência, os dados. Não tem mais como aceitar esse ministro do Meio Ambiente. Se ele continua recusando os fatos, é porque há outros interesses, que não são a preservação do nosso bioma. Ontem, entidades de todo o país pediram que #RicardoSalles seja investigado por improbidade administrativa, por negligenciar o que acontece nesse momento. Vale lembrar tb que Salles já carrega uma condenação em seu currículo. A denúncia de 2016, é de quando estava à frente da Secretaria do Meio Ambiente de SP, e diz que o então secretário adulterou mapa ambiental pra beneficiar mineradoras. Em dezembro de 2018, saiu sua condenação: multa de dez vezes o seu salário da época e direitos políticos suspensos por 3 anos. Dois meses depois, Ricardo Salles era nomeado ministro do Meio Ambiente pelo presidente da República. É o fim da linha: ou pra essa gestão do Meio Ambiente ou pra Amazônia. O que vamos escolher?

Uma publicação compartilhada por Leandra Leal (@leandraleal) em



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings