Dramédia política Vice lidera indicações malucas do Globo de Ouro 2019



A Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood divulgou os indicados ao Globo de Ouro 2019. E a lista inclui vários filmes que não estão no radar para o Oscar, enquanto favoritos da crítica americana foram esquecidos. O tom foi de comédia maluca.

A premiação registra, pela primeira vez, o tamanho das pretensões da dramédia política “Vice”, em que Christian Bale se transforma no ex-vice presidente dos Estados Unidos Dick Cheney. Sua transformação vinha dando o que falar. Mas, apesar de o filme liderar a lista, com seis indicações, Bale não apareceu entre os Melhores Atores. Vá entender…

Espere. É fácil entender: é o Globo de Ouro. Os indicados e vencedores são escolhidos pelos cerca de 80 membros da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, e por conta esse eleitorado bastante específico não tem nenhuma relação com os demais prêmios da temporada, entre eles o Oscar.

A premiação é conhecida por outro motivo: como a mais desinibida da temporada, por ser regada à álcool. E como é televisada, com a presença de vários famosos, costuma garantir muitos memes.

Este ano, o álcool deve ter sido liberado antes, o que talvez explique a lista dos cinco selecionados para Melhor Filme Dramático, entre eles um musical, “Bohemian Rhapsody”, apesar de existir a categoria de Melhor Filme de Comédia ou Musical, que incluiu o dramático “Green Book – O Guia”.

Não é piada. Ou melhor, é… o Globo de Ouro. Que, como é bom lembrar, já premiou “Perdido em Marte” (2015) como Melhor Comédia.

Este ano, pela primeira vez, a premiação também incluiu um filme de super-heróis, “Pantera Negra”, na sua lista. O CEO da Disney, Bob Iger, agradeceu em seu Twitter.

Parece que os críticos estrangeiros de Hollywood não gostaram da variedade de lançamentos do ano de “First Reformed”, “Domando o Destino”, “Support the Girls”, “Não Deixe Rastros” e “Oitava Série”, que pelo menos foi lembrada numa categoria – Melhor Atriz para a revelação Elsie Fisher. Mas talvez faça sentido, afinal as produções americanas estão fraquíssimas em 2019, comparadas aos longas de “língua estrangeira” como o mexicano “Roma”, que se infiltrou em várias categorias. Até o inglês “A Favorita”, dirigido por um grego, demonstra isso ao aparecer como segundo filme com maior quantidade de nomeações. Já venceu o BIFA (prêmio indie britânico) no Reino Unido.

E séries? “The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story” foi a mais celebrada, com quatro indicações. Os críticos estrangeiros amam as séries de Ryan Murphy – “Pose” também foi lembrada. E amam “The Americans”, que se despede com três indicações, dominando a categoria dramática.

Por outro lado, a unanimidade em torno de “The Handmaid’s Tale” arrefeceu, tirando-a da lista de Melhores Séries de Drama. E embora aceitem “Pantera Negra” como Melhor Filme, os eleitores do Globo de Ouro não descobriram ainda que as séries de super-heróis são tão boas quanto os filmes do gênero – algumas, melhores. Nenhuma foi indicada.

Mesmo com seu excesso de produções, a Netflix ficou apenas em 4º lugar na soma total de nomeações entre as plataformas e canais, abaixo da líder FX, da HBO e até da concorrente direta Amazon, e apenas ligeiramente à frente do pouco assistido Showtime.

Com apresentação do comediante Andy Samberg (“Brooklyn Nine-Nine”) e da atriz Sandra Oh (“Killing Eve”), a cerimônia de premiação do Globo de Ouro 2019 está marcada para o dia 6 de janeiro, com transmissão ao vivo no Brasil pelo canal pago TNT.

Confira abaixo a lista completa de indicados.

CINEMA

Melhor Filme – Drama
“Nasce uma Estrela”
“Pantera Negra”
“Se a Rua Beale Falasse”
“Infiltrado na Klan”
“Bohemian Rhapsody”

Melhor Filme – Comédia ou Musical
“A Favorita”
“Green Book – O Guia”
“O Retorno de Mary Poppins”
“Podres de Ricos”
“Vice”

Melhor Ator – Drama
Bradley Cooper (“Nasce uma Estrela”)
Rami Malek (“Bohemian Rhapsody”)
Willem Dafoe (“No Portal da Eternidade”)
Lucas Hedges (“Boy Erased: Uma Verdade Anulada”)
John David Washington (“Infiltrado na Klan”)

Melhor Atriz – Drama
Lady Gaga (“Nasce uma Estrela”)
Glenn Close (“A Esposa”)
Melissa McCarthy (“Poderia me Perdoar?”)
Nicole Kidman (“Destroyer”)
Rosamund Pike (“A Private War”)

Melhor Ator – Comédia ou Musical
Christian Bale (“Vice”)
Viggo Mortensen (“Green Book – O Guia”)
Robert Redford (“The Old Man & the Gun”)
Lin-Manuel Miranda (“O Retorno de Mary Poppins”)
John C. Reilly (“Stan & Ollie”)

Melhor Atriz – Comédia ou Musical
Olivia Colman (“A Favorita”)
Emily Blunt (“O Retorno de Mary Poppins”)
Elsie Fisher (“Oitava Série”)
Constance Wu (“Podres de Ricos”)
Charlize Theron (“Tully”)


Melhor Ator Coadjuvante
Mahershala Ali (“Green Book – O Guia”)
Richard E. Grant (“Poderia me Perdoar?”)
Timothee Chalamet (“Querido Menino”)
Adam Driver (“Infiltrado na Klan”)
Sam Rockwell (“Vice”)

Melhor Atriz Coadjuvante
Regina King (“Se a Rua Beale Falasse”)
Amy Adams (“Vice”)
Emma Stone (“A Favorita”)
Rachel Weisz (“A Favorita”)
Claire Foy (“O Primeiro Homem”)

Melhor Diretor
Alfonso Cuaron (“Roma”)
Bradley Cooper (“Nasce uma Estrela”)
Peter Farrelly (“Green Book – O Guia”)
Spike Lee (“Infiltrado na Klan”)
Adam McKay (“Vice”)

Melhor Roteiro
Deborah Davis e Tony McNamara (“A Favorita”)
Peter Farrelly, Nick Vallelonga e Brian Hayes Currie (“Green Book – O Guia”)
Barry Jenkins (“Se a Rua Beale Falasse”)
Alfonso Cuaron (“Roma”)
Adam McKay (“Vice”)

Melhor Trilha Sonora
Alexandre Desplat (“Ilha dos Cachorros”)
Justin Hurwitz (“O Primeiro Homem”)
Ludwig Göransson (“Pantera Negra”)
Marco Beltrami (“Um Lugar Silencioso”)
Marc Shaiman (“O Retorno de Mary Poppins”)

Melhor Canção Original
“Shallow” (“Nasce uma Estrela”)
“All the Stars” (“Pantera Negra”)
“Requiem For A Private War” (“A Private War”)
“Revelation” (“Boy Erased: Uma Verdade Anulada”)
“Girl in the Movies” (“Dumplin”)

Melhor Animação
“Os Incríveis 2”
“Ilha dos Cachorros”
“WiFi Ralph: Quebrando a Internet”
“Homem-Aranha no Aranhaverso”
“Mirai”

Melhor Filme Estrangeiro
“Girl” (Bélgica)
“Shoplifters” (Japão)
“Never Look Away” (Alemanha)
“Roma” (México)
“Capernaum” (Líbano)

TV

Melhor Série – Drama
“Killing Eve”
“Homecoming”
“The Americans”
“Pose”
“Bodyguard”

Melhor Ator de Série – Drama
Matthew Rhys (“The Americans”)
Jason Bateman (“Ozark”)
Stephan James (“Homecoming”)
Richard Madden (“Bodyguard”)
Billy Porter (“Pose”)

Melhor Atriz de Série – Drama
Sandra Oh (“Killing Eve”)
Julia Roberts (“Homecoming”)
Elisabeth Moss (“The Handmaid’s Tale”)
Keri Russell (“The Americans”)
Caitriona Balfe (“Outlander”)

Melhor Série – Comédia ou Musical
“A Maravilhosa Sra. Maisel”
“Barry”
“The Good Place”
“Kidding”
“O Método Kominsky”

Melhor Ator de Série – Comédia ou Musical
Bill Hader (“Barry”)
Donald Glover (“Atlanta”)
Jim Carrey (“Kidding”)
Michael Douglas (“O Método Kominsky”)
Sacha Baron Cohen (“Who is America”)

Melhor Atriz de Série – Comédia ou Musical
Rachel Brosnahan (“A Maravilhosa Sra. Maisel”)
Alison Brie (“GLOW”)
Debra Messing (“Will & Grace”)
Candace Bergen (Murphy Brown”)
Kristen Bell (“The Good Place”)

Melhor Telefilme ou Série Limitada
“O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story”
“Sharp Objects”
“O Alienista”
“A Very English Scandal”
“Escape at Dannemora”

Melhor Ator – Telefilme ou Série Limitada
Hugh Grant (“A Very English Scandal”)
Benedict Cumberbatch (“Patrick Melrose”)
Daniel Bruhl (“O Alienista”)
Darren Criss (“O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story”)
Antonio Banderas (“Genius: Picasso”)

Melhor Atriz – Telefilme ou Série Limitada
Amy Adams (“Sharp Objects”)
Patricia Arquette (“Escape at Dannemora”)
Laura Dern (“The Tale”)
Regina King (“Seven Seconds”)
Connie Britton (“Dirty John”)

Melhor Ator Coadjuvante – Série ou Telefilme
Henry Winkler (“Barry”)
Edgar Ramirez (“O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story”)
Ben Whishaw (“A Very English Scandal”)
Alan Arkin (“O Método Kominsky”)
Kieran Culkin (“Sucession”)

Melhor Atriz Coadjuvante – Série ou Telefilme
Patricia Clarkson (“Sharp Objects”)
Thandie Newton (“Westworld”)
Penelope Cruz (“O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story”)
Alex Borstein (“A Maravilhosa Sra. Maisel”)
Yvonne Stahovski (“The Handmaid’s Tale”)



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings