Remake da influente série sci-fi The 4400 começa a ser desenvolvido


A cultuada série de ficção científica “The 4400” pode voltar a ser produzida. Mas não será uma continuação. Segundo a revista Variety, a rede CW encomendou um remake, que está sendo escrito pela dupla Taylor Elmore e Craig Sweeny.

Os dois trabalharam juntos como produtores e roteiristas de “Limitless”. E Sweeny, que criou “Limitless”, foi roteirista e supervisor de produção da série original, por sua vez criada por René Echevarria e Scott Peters.

“The 4400” foi ao ar entre 2004 e 2007 em dois canais diferentes nos Estados Unidos, durando quatro temporadas bastante criativas que até hoje influenciam inúmeras produções televisas, entre elas o atual sucesso da TV americana “Manifest”.

A história começava como um episódio de “Arquivo X”, com um casal de agentes federais investigando o surgimento misterioso de 4400 pessoas no mesmo local, após serem dadas como desaparecidas há vários anos. Cada uma dela vinha de épocas diferentes e reaparecia como se o tempo não tivesse passado para elas.



Joel Gretsch (que depois estrelou “V: Visitantes”) e Jacqueline McKenzie (atualmente na série australiana “Pine Gap”) viviam os investigadores, mas o destaque acabou sendo o elenco de apoio, com diversos atores de peso, entre eles Mahershala Ali (vencedor do Oscar por “Moonlight”), Patrick John Flueger (“Chicago P.D.”), Billy Campbell (“Helix”, “The Killing”), Megalyn Echikunwoke (“Vixen”), Samantha Ferris (“Salvation”), Laura Allen (“Ravenswood”), Jeffrey Combs (o eterno Herbert West da franquia de terror “Re-Animator”), Peter Coyote (“Law & Order: Los Angeles”), Garret Dillahunt (“Fear the Walking Dead”) e a musa sci-fi Summer Glau (de “Firefly”, “Terminator”, “Dollhouse”, “Alphas” e “Arrow”).

Aos poucos, esses desaparecidos começam a manifestar superpoderes, cuja explicação revela uma vasta teoria de conspiração com origem no futuro, sobre como os 4400 seriam a chave para impedir o apocalipse. Entretanto, evocando os X-Men, eles acabavam sendo considerados uma ameaça, perseguidos e tratados como foras-da-lei. A série também fazia um paralelo com a Igreja da Cientologia, ao mostrar um grupo dos 4400 formando uma seita. E acabou com um desfecho bombástico, bastante satisfatório, ainda que os fãs esperassem por uma renovação para a 5ª temporada que jamais veio.

De acordo com a Variety, a nova versão será ligeiramente diferente. Em vez de pessoas de várias idades, os desaparecidos serão jovens adultos. E a história terá ligação com o lançamento do satélite Sputnik, pela Rússia, em 1957. Abduzidos misteriosamente no passado, os personagens também não vão reaparecer juntos na floresta, mas nos mesmos lugares em que foram vistos pela última vez. Sem conseguir lembrar de nada do que aconteceu, eles passam a enfrentar uma realidade agressiva, bastante diferente do mundo que conheciam.

Por enquanto, apenas o roteiro foi encomendado. A história precisa agradar para que a rede CW banque o piloto, última etapa antes da aprovação ou rejeição do projeto. Caso vire série, a produção estará a cargo da CBS/Paramount Television (sócia da Warner no controle da CW), produtora responsável pela série original.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings