Premissa completa de Era uma Vez um Deadpool foi sugerida no Twitter em dezembro passado

A ideia de uma versão para menores de “Deadpool” com homenagem ao clássico “A Princesa Prometida” (1987), quem diria, foi de um fã. Ryan Reynolds, intérprete de Deadpool, estava levando o crédito, mas na verdade o conceitou foi explicado integralmente num tuíte de dezembro de 2017, feito pelo escritor Michael Vincent Bramley como comentário sobre uma publicação do ator.

Nele, Bramley escreve: “Se a Marvel te forçar a fazer uma versão para menores de ‘Deadpool’, basta copiar a narrativa secundária de ‘A Princesa Prometida’ e mostrar Deadpool contando a versão censurada para Fred Savage como uma história para dormir. Um adulto sequestrado, Fred Savage. Pronto, resolvi”, comentou o fã para Reynolds.

Pois esta é exatamente a premissa de “Era uma Vez um Deadpool”, que chega aos cinemas um ano após o tuíte original de Bramley.

Diante da evidente, digamos, semelhança, Bramley escreveu que teve uma conversa com Reynolds e creditou à coincidência o fato de o filme ter a mesma premissa que ele imaginou.

“Ryan Reynolds e eu tivemos uma conversa breve e eu acredito que ele estava tão confuso quanto eu. Parece que tudo isso foi apenas uma grande e insana coincidência, e estou feliz em acreditar nisso. Estou ansioso para assistir ao filme em dezembro!”, ele escreveu em seu Twitter.

Bramley ainda explicou que nunca pretendeu processar Reynolds ou a Fox/Disney por usar sua ideia sem lhe dar créditos, mas gostaria de saber como isso aconteceu, porque ele ficou atordoado quando descobriu. E, claro, também gostaria de ganhar algum brinde.

“Era uma Vez um Deadpool” é uma reedição para menores do filme “Deadpool 2” com cenas inéditas e participação do ator Fred Savage numa homenagem assumida ao clássico “Princesa Prometida”, cujo roteirista original faleceu há poucos dias.

No filme dos anos 1980, Savage vivia um menino doente, que ouvia um conto de fadas lido por seu avô. No filme, Deadpool vai aparecer lendo um livro para Savage, que está amarrado em sua cama e só será solto ao final da história. As cenas de interação entre os dois teriam sido filmadas em um único dia pela dupla de atores, com roteiro de Rhett Reese, Paul Wernick e direção de Dave Leitch – o time de “Deadpool 2”.

“Once Upon a Deadpool” ficará em cartaz nos cinemas dos Estados Unidos por um período limitado, entre os dias 12 e 24 de dezembro apenas. E cada ingresso vendido renderá US$ 1 para uma instituição beneficente de luta contra o câncer, chamada F*ck Cancer, que momentaneamente será rebatizada como Fudge Cancer para ganhar divulgação junto do lançamento para menores.

A estreia no Brasil vai acontecer em 27 de dezembro e não foi divulgado se o filme terá alguma parceria beneficente no país.