Manifest bate recorde de audiência e vira primeira estreia de sucesso da nova temporada de séries nos EUA


A temporada de outono (fall season) começou oficialmente na segunda-feira (24/9) nos Estados Unidos e já registrou as primeiras estreias de sucesso na TV americana.

No primeiro dia de exibição de novos programas, “Manifest” surpreendeu com uma audiência muito acima do esperado, assistida por 10,3 milhões de telespectadores ao vivo às 22h, e marcando 2,2 pontos na demo (a faixa demográfica de adultos entre 18 e 49 anos, mais relevante para os anunciantes).

A TV americana não via um sucesso de sci-fi deste porte desde “Lost”, produção com a qual “Manifest” tem sido comparada, já que também trata de passageiros de um avião desaparecido. A diferença é que, em vez de chegarem numa ilha misteriosa, os protagonistas da nova série pousam em seu destino original… muitos anos depois.

“Manifest” teve desempenho inesperado por aumentar o público da NBC após a exibição do carro-chefe “The Voice”. A série foi vista por quase um 1 milhão de pessoas a mais que a audiência do reality de competição musical e atingiu um recorde, como a maior estreia da rede em três anos.

Em todo o dia, a novata só perdeu para os retornos de “The Big Bang Theory” (12,5 milhões) e “Young Sheldon” (10,5 milhões) na rede CBS, exibidos mais cedo.

A estreia de “Magnum P.I.”, remake da série de sucesso dos anos 1980, também teve um bom começo em números gerais na CBS, assistida por 8 milhões de telespectadores. Entretanto, não conseguiu reter o público das séries que a precederam e quem a sintonizou não foi muito qualificado – isto é, a maioria ficou fora da demo.

O novo “Magnum” marcou apenas 1,2 ponto na demo – cada ponto equivale a 1,3 milhões de adultos na medição da consultoria Nielsen. Ficou, inclusive, abaixo dos 1,4 pontos da volta de “Good Doctor”, que, por sua vez, registrou a menor audiência de toda a série na estreia de sua 2ª temporada, com 7,78 milhões de telespectadores.



Já na terça-feira (25/9), a CBS voltou a contar com a eficácia do produtor Dick Wolf (criador das franquias “Law & Order” e “Chicago”) para lançar sua nova série procedimental “F.B.I”. A atração foi vista por 10,3 milhões de telespectadores. Mas também teve dificuldades na demo, registrando 1,3 ponto. Este paradoxo é uma característica atual das séries procedimentais – que costumam tratar de um caso (geralmente criminal) por episódio – , vistas por um público mais velho.

Para ter uma comparação, a estreia da 2ª temporada de “This Is Us” atraiu quase o mesmo público na rede NBC: 10,4 milhões. Porém, registrou 2,9 pontos na demo.

A NBC ainda exibiu a outra estreia do dia, “New Amsterdam”, assistida por 8,4 milhões. Mas se a série médica perdeu em quantidade de telespectadores para “F.B.I”, venceu com folga na demo, com 1,9 ponto.

Para completar, a Fox lançou a 3ª temporada de “Lethal Weapon” (“Máquina Motífera”) e a 2ª de “The Gifted”, ambas com queda de audiência em relação às temporadas anteriores. No caso de “The Gifted”, os 2,6 milhões da sintonia representaram o segundo pior público de toda a série. Mas seus telespectadores são jovens, o que rende melhor posicionamento na demo que “Lethal Weapon” – 0,9 contra 0,8 ponto – , apesar de a série policial ter sido vista por 3,4 milhões ao vivo.

Decisões sobre renovações e cancelamentos dão mais peso ao público da demo que à audiência total.

Clique nos títulos destacados das séries para saber mais sobre cada uma delas.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings